São Paulo (SP)

Sexta, 24 de outubro de 2008, 21h29 Atualizada às 02h41

No último programa, Marta mostra Kassab expulsando manifestante

  • Notícias

No último horário eleitoral na TV destas eleições, a candidata à prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy (PT), mostrou imagens do prefeito Gilberto Kassab (DEM) chamando um manifestante de "vagabundo" ao expulsá-lo de um ambulatório de Pirituba, zona norte. Já o democrata direcionou seu programa a obras e promessas. Ambos pediram a preferência do eleitor e agradeceram apoiadores.

Sobre as imagens do democrata perdendo o controle em público, o locutor de Marta comentou: "Um prefeito que quer ser simpaticão, boa praça, até beijoqueiro, mas que às vezes não consegue".

A petista recebeu elogios do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que disse que ela tirou São Paulo da maior crise da História. "E sem dinheiro, fez um governo que até hoje ninguém conseguiu suplantar, mesmo tendo mais recursos e copiando suas idéias", completou.

Marta voltou a repetir que Kassab copiou suas obras e prestou uma homenagem às cinco zonas de São Paulo. Nas ruas, eleitores elogiaram a candidata e a chamaram de batalhadora. "Ela é mulher, e mulher entende o que a gente precisa", disse uma eleitora sobre Marta que, por sua vez, afirmou oferecerá "sensibilidade de mulher" se eleita.

O ator Sérgio Mamberi disse que a petista é certeza de uma cidade "muito mais humana". O jornalista Fernando Moraes observou que nunca ouviu "uma coisa que ela não pôde ter feito ou não cumpriu".

Personalidades políticas também elogiaram Marta. O governador da Bahia, Jacques Vagner (PT), disse que ela é a "garantia de que o PFL não vai ressuscitar em São Paulo".

Kassab, por sua vez, mencionou a vantagem sobre Marta apontada nas últimas pesquisas. Agradeceu ao eleitor por acompanhá-lo. "Nessa campanha, procurei mostrar tudo que fiz nesses dois anos e meio que estou na prefeitura. E tive coragem de dizer que falta muito pra fazer. Me esforcei pra melhorar a vida das pessoas", disse.

O programa do democrata mostrou o nascimento de um bebê cuja mãe foi atendida pelo projeto Mãe Paulistana. Um senhor que trocou um barraco para uma casa nova, por meio do plano de urbanização de favelas, elogiou o prefeito.

Em resposta às críticas do PT de que o programa Remédio em Casa atenderia a poucas pessoas, uma eleitora, enfurecida, apareceu chamando todos seus vizinhos, que disseram receber os medicamentos em seus endereços.

Kassab também mostrou a Vila dos Idosos, um condomínio que abrigaria 300 pessoas da terceira idade que não têm onde morar. Idosos sorridentes agradeceram ao democrata. "É um sentimento de alegria, realização", disse um deles.

"Quero fazer um trabalho acima dos partidos para fazer o que a cidade precisa", afirmou Kassab, que mencionou ter o desejo de melhorar a saúde e a educação e investir no Metrô. "Temos equipe, apoio político e temos as contas da cidade rigorosamente em dia", afirmou.

Por fim, além de pedir o voto do eleitor, o candidato disse ter o que ele chamou de "amor danado" pela cidade de São Paulo. "De mim, você pode esperar o mesmo comportamento que tive nesses dois anos e meio", concluiu.


Redação Terra