Rio Branco

Quinta, 23 de outubro de 2008, 13h26

Governo do Rio questiona proibição de inaugurações

  • Notícias

O governo do Estado do Rio de Janeiro recorreu da decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de proibir a inauguração de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e de qualquer obra de cunho social até o próximo domingo, data do segundo turno. A proibição impediu o governo estadual de inaugurar, nesta quinta-feira, a vigésima UPA no Engenho Novo, zona norte da cidade.

O governo alega que a finalidade das UPAs é atender ao interesse da população. Para o TRE, essas inaugurações são exploradas na campanha do candidato à prefeitura Eduardo Paes (PMDB) que é do mesmo partido do governador Sérgio Cabral. Caso haja descumprimento da decisão do TRE, o governo estadual estará sujeito a multa de R$ 100 mil.

Recentemente, duas UPAs foram inauguradas, daí a atitude do Ministério Público Eleitoral de pedir a proibição. Até o final deste ano, o governo pretende inaugurar mais cinco unidades, que oferecem à população atendimento nas áreas de clínica médica, pediatria, ortopedia e odontologia. As UPAs atendem a cerca de 500 pessoas por dia.


Agência Brasil