Salvador (BA)

Terça, 21 de outubro de 2008, 16h32 Atualizada às 18h21

João Henrique critica governo baiano e PT

  • Notícias

O candidato à reeleição na prefeitura de Salvador, João Henrique Carneiro (PMDB), deixou de lado o adversário, Walter Pinheiro (PT), e resolveu estender as críticas para o governo do Estado e o PT. No domingo, durante um debate realizado pela TV Itapoan da Rede Record, pelo menos dois secretários estaduais foram definidos por ele como "lerdo" e "incompetente".

Em resposta, o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), admitiu que pode dispensar a aliança com o PMDB para 2010. PMDB e PT compõem a base de sustentação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do governador, que tem um peemedebista como vice. Políticos locais não acreditam mais em uma recomposição entre o atual prefeito e o governador.

Em um almoço com a cúpula do PDT, João Henrique disse que "traição é uma característica do PT". O partido era aliado da administração municipal entre janeiro de 2005 e abril de 2008, quando deixou a coalizão para lançar candidatura própria.

Ele ainda garantiu que não pretende mais se aliar com o partido: "aliança com o PT, nunca mais na minha vida." O governador também não foi poupado: "eu não sei o que seria o governo de Jaques Wagner, hoje, sem o PMDB". Para João Henrique, o que ampara os petistas é a popularidade e o carisma do presidente Lula. "Mas, e quando não tiver mais o presidente Lula?", questionou.

Os ataques do candidato do PMDB foram respondidos por Pinheiro. Ao receber apoio do atual vice-prefeito de Salvador, Marcelo Duarte (PSDB) e de ex-secretários municipais de João Henrique, ele afirmou que "Salvador precisa de um prefeito que tenha liderança, que respeite a cidade e seu povo e não fique como uma marionete."


Reuters