Rio de Janeiro

Sexta, 17 de outubro de 2008, 19h18 Atualizada às 07h33

Rosinha discorda da decisão do TSE em Campos

  • Notícias

Isaac Ismar
Direto do Rio de Janeiro

A candidata à prefeitura de Campos dos Goytacazes, Rosinha Garotinho (PMDB), não entendeu a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que permitiu a realização de segundo turno na cidade apesar de seu adversário, Arnaldo Vianna (PDT), estar com a candidatura impugnada.

Atual prefeito de Campos, Vianna teve o registro de candidatura negado pela justiça eleitoral porque suas contas referentes ao período em que governou o município foram rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado e pelo Tribunal de Contas da União. No entanto, elas foram confirmadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ). Com isso, o segundo turno foi confirmado.

"Nunca vi em outra cidade do Brasil o que está acontecendo aqui em Campos. Era possível aguardar uma consulta do TSE ao TRE e, se necessário, convocar uma eleição suplementar futuramente. Não entendi, pois o meu concorrente está sem registro e os votos dele serão anulados da mesma forma", questionou a ex-governadora do Rio de Janeiro.

Rosinha Garotinho foi considerada prefeita eleita no dia 5 de outubro, mas 96 horas depois o TSE determinou a realização de segundo turno em Campos. Os 108.210 votos recebidos por Arnaldo Vianna tinham sido considerados nulos na votação de domingo porque, naquele momento, ele estava com a candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral. Já a candidata do PMDB recebeu 118.245 votos (78,91% dos válidos).

"A população está indignada com essa situação. O clima é de rivalidade nas ruas. Peço aos meus eleitores que não respondam as insinuações dos cabos eleitorais deles e evitem agressões. Não quero confusão. A resposta será nas urnas. A pesquisa Ibope de hoje me dá 16% dos votos válidos à frente dele. O sentimento é de mudança", afirma Rosinha.


Especial para Terra