João Pessoa (PB)

Quarta, 15 de outubro de 2008, 09h57 Atualizada às 10h36

Votinho de Ouro é preso por compra e venda de votos na PB

  • Notícias

Michelle Sousa
Direto de João Pessoa

O candidato a vereador derrotado em João Pessoa Lamark Leitão (PSL) e o cabo eleitoral Iomar Rodrigues dos Santos, conhecido por "Votinho de Ouro", foram presos nesta terça-feira pela Polícia Federal acusados de compra e venda de votos. As prisões são preventivas e foram decretadas pelo juiz eleitoral Aluízio Bezerra, após receber diversas denúncias.

De acordo com o delegado da PF Derly Brasileiro, Lamark Leitão ameaçou a esposa de Iomar no último sábado, chegando a efetuar perseguição pelas ruas de João Pessoa, depois que várias denúncias contra Votinho de Ouro foram divulgadas pela imprensa.

Votinho de Ouro já havia sido detido na capital dois dias antes do primeiro turno. Ele estava na orla de João Pessoa e foi denunciado por compra de votos. Na ocasião, a PF apreendeu cerca de R$ 8 mil em seu apartamento.

Um dia depois das eleições, vários eleitores reclamaram que teriam recebido calote de um dos vereadores eleitos. Um cabo eleitoral teria prometido R$ 70,00 pela boca de urna, mas não apareceu para quitar a dívida. Votinho de Ouro teve seu nome relacionado a essas denúncias.

Em Campina Grande também surgiram denúncias de que o cabo eleitoral teria sido contratado pela coligação da oposição para comprar votos, no segundo turno, para o atual prefeito e candidato à reeleição, Ricardo Coutinho (PSB). O esquema envolveria um falso flagrante para prejudicar a candidatura do peemedebista Veneziano Vital, conforme denunciou seu irmão, o deputado federal Vital do Rêgo Filho.

Diante de todas as especulações, o delegado Derly Brasileiro resolveu solicitar à justiça a prisão de Lamark e Votinho. "Até para manter a integridade física de Iomar. Muita gente liga atribuindo crimes a ele, inclusive autoridades que não posso revelar. Todos atribuem participação dele em crimes em João Pessoa, Campina Grande e outras regiões", afirmou o delegado.

Segundo Brasileiro, mais prisões poderão ser feitas. "A qualquer momento posso solicitar a prisão de mais pessoas envolvidas, seja candidatos, seja pessoas que estão indo para as ruas reclamar de calote".

Nesta quarta-feira, Votinho de Ouro será ouvido na presença do juiz eleitoral. A intenção é buscar indícios sobre o envolvimento de mais candidatos no esquema de compra e venda de votos. "Já temos confirmada a participação de pelo menos um vereador eleito no esquema liderado por Votinho", garantiu o delegado.


Especial para Terra