Cuiabá

Quarta, 8 de outubro de 2008, 20h43 Atualizada às 23h19

Mendes espera Lula para campanha de 2° turno em Cuiabá

  • Notícias

A presença do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em Cuiabá (MT) é uma das armas da campanha do candidato Mauro Mendes (PR) no segundo turno das eleições para a prefeitura. O adversário dele é o atual prefeito, Wilson Santos (PSDB).

Segundo o coordenador-geral da campanha de Mendes, o vereador Helny de Paula (PR), Lula deverá ir à capital matogrossense para apoiar Mendes, mas ainda não tem definido quando acontecerá a visita.

"Existe a chance e estamos aguardando a agenda do Palácio do Planalto", afirmou Helny, que colocou Lula e o governador de Mato Grosso, Blairo Maggi, como principais cabos eleitorais de Mendes. "Sem dúvida, são nossos pricipais apoiadores."

No primeiro turno, Mendes obteve 26,59% dos votos válidos e ficou atrás de Wilson Santos (PSDB), que alcançou 47,92% e por pouco não se reelegeu sem a necessidade da segunda fase do pleito.

Outra novidade na campanha de Mendes é a contratação de um novo marqueteiro para ajudar a vencer o atual prefeito. Chico Santa Rita integrará a coordenação de marketing junto com Júlio Valmórbida, que já estava nessa função no primeiro turno.

"Sentimos essa necessidade. É uma nova eleição e foi analisado que precisaríamos de outro tipo de trabalho para reforçar a equipe de marketing."

Chico Santa Rita tem vários trabalhos vitoriosos na política. Ele foi o marqueteiro das campanhas que levaram Orestes Quércia (PMDB) e Luís Antônio Fleury Filho (PMDB) ao governo do Estado de São Paulo, em 1986 e 1990, respectivamente.

Além disso, Santa Rita trabalhou na campanha que elegeu Fernando Collor como presidente da Repúlica em 1989 e foi o mentor da vitoriosa campanha do "não" no referendo que colocava em pauta a proibição do comércio de armas de fogo e munição, em 2005.

Neste reinício de campanha, Helny também falou que a coligação Compromisso com Cuiabá, que ainda tem PT, PMDB, PTC e PSC como integrantes, ainda não ganhou a adesão de candidatos derrotados, pois ainda está em fase de conversação.

"Estamos desenvolvendo algumas conversas com partidos que não foram para o segundo turno e ainda não tem nada concretizado. Mas só digo que não há possibilidade quando as discussões acabarem."

Nessas conversas, o alvo principal é Walter Rabello (PP), terceiro colocado no primeiro turno com 16,94% dos votos válidos. Ele terá autonomia para decidir quem vai apoiar e deve fazer o anúncio amanhã, segundo informou o assessor de imprensa do candidato.


Redação Terra