São Paulo (SP)

Domingo, 5 de outubro de 2008, 23h07 Atualizada às 10h33

SP: Kassab vai para 2º turno com Marta

Marta Suplicy tem Aldo Rebelo como vice na chapa
Marta Suplicy tem Aldo Rebelo como vice na chapa
Marcelo Pereira/Terra

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), venceu o primeiro turno na capital paulista obtendo 33,61% dos votos válidos. Agora Kassab se prepara para enfrentar no segundo turno, dia 26 de outubro, Marta Suplicy (PT), da coligação Uma Nova Atitude para São Paulo (PT-PCdoB-PSB-PDT-PRB-PTN), que ficou em segundo lugar com 32,79% dos votos válidos. Marta, que já governou o município entre 2001 e 2004, tenta voltar à prefeitura quatro anos após ter fracassado na sua tentativa de reeleição, quando foi derrotada pelo atual governador José Serra (PSDB), que deixou o cargo em 2006.

A apuração encerrou às 2h35 e Geraldo Alckmin (PSDB) ficou na terceira posição com 22,48% dos votos válidos. A totalização dos votos válidos terminou com Paulo Maluf (PP), com 5,91%; Soninha Francine (PPS), 4,19%; Ivan Valente (Psol), 0,67%; Renato Reichmann (PMN), 0,11%; Levy Fidelix (PRTB), 0,09%; Edmilson Costa (PCB), 0,07%; Ciro Moura (PTC), 0,06% e Anai Caproani (PCO), 0,03%.

Das 57 zonas eleitorais da cidade de São Paulo, Kassab venceu em 33. Já Marta venceu nas outras 24 restantes. O candidato do DEM, porém, ficou em segundo lugar nas zonas em que não foi primeiro. Marta, em algumas regiões, ficou em terceiro, atrás do tucano Alckmin.

Kassab, que tem como vice em sua chapa Alda Marco Antonio (PMDB), teve uma campanha marcada pelo crescimento avassalador nas pesquisas. No início de agosto, segundo o Ibope, Kassab aparecia em terceiro lugar empatado com Paulo Maluf (PP), com apenas 8% das intenções de votos. Cerca de 20 pontos atrás do então segundo colocado Geraldo Alckmin (PSDB) e mais de 30 atrás de Marta Suplicy (PT).

O crescimento de Kassab nas pesquisas começou com o início da propaganda gratuita de rádio e TV. O candidato democrata ignorou os ataques de Geraldo Alckmin e concentrou seu fogo contra a petista Marta Suplicy, fazendo comparações entre os seus dois anos de governo e os quatro da ex-ministra. Kassab buscou também uma aproximação de sua imagem ao governo de Estado, chegando a declarar, em setembro, que apoiaria uma possível candidatura de José Serra (PSDB) à presidência em 2010.

Um fato que marcou a candidatura de Kassab foi decisão de seu partido de promover a quebra de uma aliança histórica na cidade. Para buscar a reeleição do atual prefeito, o DEM rompeu com o PSDB em São Paulo, que lançou Geraldo Alckmin.

Kassab assumiu a prefeitura de São Paulo em 2006, quando o então prefeito José Serra deixou o cargo para se candidatar ao governo do Estado. Impulsionado por medidas polêmicas como o projeto Cidade Limpa, que limitou a utilização da propaganda visual, a aprovação de seu mandato chegou a mais de 55%, de acordo com uma pesquisa divulgada pelo instituto DataFolha no primeiro trimestre deste ano.

Marta, que tem como vice na chapa o ex-presidente da Câmara dos Deputados Aldo Rebelo (PCdoB), liderou as pesquisas eleitorais desde que lançou sua candidatura em junho deste ano, após deixar o cargo de ministra do Turismo, que ocupava no governo Lula desde 2007.

Mesmo sem contar com o apoio de partidos como PMBD, PV e PR, que se coligaram ao candidato Gilberto Kassab (DEM), Marta teve importantes aliados em sua campanha, como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sindicatos de grande representação na capital paulista, entre eles a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a União Geral dos Trabalhadores (UGT) e a Força Sindical, que pela primeira vez se uniram para apoiar um único candidato.


Redação Terra