Rio Branco

Domingo, 5 de outubro de 2008, 22h11 Atualizada às 23h38

Angelim é reeleito no 1º turno em Rio Branco

  • Notícias

Raimundo Angelim (PT) faz o V da vitória na cabine de votação
Raimundo Angelim (PT) faz o "V" da vitória na cabine de votação
Rutembergue Crispim/Especial para Terra

Com 100% das urnas apuradas, o petista Raimundo Angelim, da coligação Frente Popular das Comunidades, foi reeleito para o cargo de prefeito de Rio Branco (AC). Ele obteve 50,82% dos votos válidos, deixando em segundo lugar o candidato do PMN, Sérgio Petecão, que recebeu 25,60% dos votos válidos.

O terceiro colocado foi Tião Bocalom (PSDB), com 22,34% dos votos válidos, seguido pelo candidato do Psol, Antonio Rocha, que teve 1,24%. Brancos são o equivalente a 1,62% e nulos somaram 5%. Ao todo, 168.613 eleitores compareceram às urnas neste domingo.

A capital acreana tinha a chance de vivenciar, pela primeira vez, a realização do segundo turno, já que ultrapassou a barreira dos 200 mil eleitores. Entretanto, o número de votos alcançado por Angelim definiu a disputa já no primeira turno, dando ao PT o segundo mandato consecutivo.

Angelim assumiu a prefeitura na eleição de 2004, sucedendo Isnard Leite (PP), e teve amplo apoio durante a campanha para ficar mais quatro anos à frente do governo municipal.

O prefeito já apareceu disparado nas pesquisas eleitorais desde o primeiro instante. No fim de agosto, ele alcançou 56% das intenções de voto, obtendo 19 pontos percentuais de vantagem sobre Petecão. Em setembro, o petista oscilou cinco pontos para baixo, mas nunca se mostrou ameaçado pelos opositores, mantendo-se no patamar de 50%.

A corrida de Angelim rumo à reeleição teve apoio maciço do PT, que está à frente do governo do Acre por três mandatos. Binho Marques, o atual governador, participou ativamente da campanha, que também contou com a presença constantes dos senadores Tião Viana e Marina Silva, ambos do PT.

Diante da disparada inicial de Angelim, os adversários pouco investiram em uma improvável virada. Petecão, que foi o deputado federal mais votado do Acre em 2006, e Tião Bocalom (PSDB), que concorreu ao governo do Estado no mesmo ano, pareciam pensar em um fortalecimento político para a candidatura à prefeitura em 2010.

A candidatura de Angelim à prefeitura foi alavancada pelo ótimo desempenho de sua administração. Em pesquisa realizada pelo Ibope, o governo petista alcança 95% de aprovação, entre avaliações de bom, regular e ótimo. Com isso, no fim de junho, o PT organizou uma convenção apenas para homologar a candidatura de Angelim, que teve Francisco Eduardo Saraiva de Farias como vice na chapa.

Angelim, de 53 anos de idade, é formado em economia e deu início à carreira política em 1991 ao assumir a Secretaria de Estado de Planejamento do Acre. Em 2000, perdeu a eleição para prefeito de Rio Branco para Flaviano Melo (PMDB). Dois anos depois, foi eleito deputado estadual e abandonou o cargo legislativo em 2004 para se candidatar à prefeitura da capital e ser eleito governante de Rio Branco.


Redação Terra