Fortaleza (CE)

Domingo, 5 de outubro de 2008, 20h46 Atualizada às 02h27

Luizianne é reeleita em Fortaleza

Luizianne Lins (PT) faz sinal após votar em Fortaleza
Luizianne Lins (PT) faz sinal após votar em Fortaleza
Rubens Venâncio/Divulgação

A atual prefeita de Fortaleza (CE), Luizianne Lins (PT), foi reeleita neste domingo na capital cearense, com 50,16% dos votos válidos. O ex-deputado Moroni Torgan (DEM) ficou com a segunda colocação, com 25%.

A senadora Patrícia Saboya (PDT) ficou com 15,47%. O candidato Renato Roseno (Psol) teve 5,67% da preferência e Pastor Neto, do PSC, recebeu 1,93% dos votos. Os candidatos Adahil Barreto (PR), Aguiar Jr. (PTC), Carlinhos e Sérgio Braga (PPS) não atingiram 1% da votação na capital cearense. Os votos brancos somaram 2,31% e os nulos atingiram 5,03%.

Durante a campanha, Luizianne apresentou como sua principal plataforma política um projeto para a saúde pública "a estruturação da rede de atenção de média complexidade", formada por centros de saúde com atendimento especializado e a realização de alguns tipos de exames.

Segundo ela, o objetivo é garantir um bom serviço no setor, uma vez que, de 2004 a 2008, o programa Saúde da Família aumentou de 15% para 45% a cobertura do atendimento primário na capital.

Nascida em Fortaleza (CE) em 1968, Luizianne é solteira e mãe de Tiê de Oliveira, 8 anos. Em 1996, foi eleita vereadora e, quatro anos mais tarde, se reelegeu. Destacou-se pelas atividades realizadas como relatora da Comissão Especial para Diagnosticar a Violência Contra a Mulher do Legislativo municipal.

Por conta disso, presidiu a Comissão de Defesa da Mulher, da Juventude e da Criança da Câmara e foi relatora das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) do Turismo Sexual, das Bolsas Escolares e da Comissão Especial para Diagnosticar as Áreas de Risco de Fortaleza.

Marcada pela identificação com os movimentos sociais, Luizianne Lins foi eleita deputada estadual em 2002. Na Assembléia, presidiu a Comissão de Direitos Humanos e Cidadania. Dois anos depois, foi eleita prefeita de Fortaleza e teve como uma de suas principais conquistas a ampliação do acesso ao transporte público com o congelamento da tarifa de ônibus a R$ 1,60.

Nas eleições deste ano, teve sua candidatura envolvida numa série de pedidos de impugnação solicitados pelo Ministério Público devido a supostas irregularidades na ata da convenção que a homologou.

A escolha do seu candidato a vice também virou polêmica devido à renúncia de Raimundo Ângelo (PT), que ocupou o posto por pouco mais de um mês e cedeu o lugar ao presidente da Câmara de Fortaleza e primo do governador do Estado, Tin Gomes (PHS).


Redação Terra