Curitiba (PR)

Domingo, 5 de outubro de 2008, 18h14 Atualizada às 01h59

Curitiba: Beto Richa é o primeiro prefeito eleito em capitais

Atrás de Richa, partidário segura placa com a palavra ficou
Atrás de Richa, partidário segura placa com a palavra "ficou"
Rodolfo Buhrer/Gazeta do Povo/Futura Press

Laryssa Borges e Roger Pereira
Direto de Curitiba

O prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), que desde o início da campanha liderava a corrida pela administração municipal, se consagrou como o grande vencedor das eleições na capital paranaense, com 77,27% dos votos válidos, fazendo com que o pleito não vá para o segundo turno. A candidata do PT, Gleisi Hoffmann, aparece na segunda colocação com 18,17% e Carlos Moreira Júnior (PMDB) na terceira colocação, com 1,90%.

Beto Richa afirmou que tem muita "alegria e gratidão" pela confiança depositada nele pelos eleitores curitibanos. "O índice de 77,27% chega até a surpreender. Só posso retribuir isso com muito emprenho e muito trabalho para melhorar a vida dos curitibanos", disse.

Nem mesmo a estratégia adotada pelos adversários para minar a vitória de Richa ainda no primeiro turno, como alertar a população sobre a possibilidade de o prefeito renunciar ao mandato em 2010 para disputar o governo do Estado, trouxe algum resultado. A possibilidade começou a ser levantada, devido aos índices alcançados por Richa nas pesquisas eleitorais e nas avaliações de sua administração, que chegou a 72% das intenções de voto.

O prefeito de Curitiba costuma citar seu pai, o ex-governador paranaense José Richa, falecido em 2003, como exemplo de sua trajetória política. Zé Richa, como era conhecido, foi deputado federal no tempo da campanha pelas Diretas Já, prefeito de Londrina e senador da República. Quando elegeu-se governador, em 1982, mudou-se para Curitiba com a mulher Arlete Richa e os três filhos.

Richa nasceu em 29 de julho de 1965, em Londrina, no Paraná. Engenheiro Civil formado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), ele nunca chegou a exercer a profissão de fato. Logo cedo, começou a seguir os passos do pai, elegendo-se deputado estadual em 1995 e em 2000. Nesse ano, tornou-se vice-prefeito de Curitiba, na gestão do hoje deputado federal Cássio Taniguchi (DEM-PR). Em 2004, foi eleito prefeito com 54,78% dos votos válidos. Dois anos antes, em 2002, disputou a eleição para o governo do Estado e ficou em terceiro lugar.

Governante discreto, não costuma se envolver em polêmicas. Em sua gestão foram poucos os escândalos políticos. Um dos casos mais graves foi registrado em 2007, quando seu ex-chefe de gabinete, Ezequias Moreira, foi denunciado pelo Ministério Público do Paraná por empregar a própria sogra como funcionária na Assembléia Legislativa do Paraná. A mulher recebia o salário, mas não dava expediente. Em abril desse ano, Ezequias teve de efetuar um depósito judicial de mais de R$ 500 mil para reparar o dano ao erário púbico.

Richa disse que a partir de amanhã começa a montar a nova equipe, mas que não deve haver muita mudança. Segundo ele, as pessoas que trabalharam na prefeitura nos últimos quatro anos demonstraram "excelência". Nesta noite, o prefeito reeleito fará uma festa na frente do palácio do governo do Estado.


Redação Terra