Natal (RN)

Quinta, 2 de outubro de 2008, 13h14 Atualizada às 14h16

Justiça vai infiltrar voluntários para o combate à boca de urna na PB

  • Notícias

Michelle Sousa
Direto de João Pessoa

Os maiores colégios eleitorais de João Pessoa (PB) vão ser vigiados por funcionários públicos voluntários, infiltrados pela Justiça Eleitoral para o combate à boca de urna. De acordo com o juiz eleitoral Aluízio Bezerra, cinco ônibus vão estar à disposição para transportar as pessoas flagradas praticando esse crime.

João Pessoa possui cinco zonas eleitorais e os juízes de cada uma vão contar com o apoio dessas pessoas. "Somente na 64ª zona já tenho 20 pessoas como voluntárias até esta quinta-feira", anunciou.

Todas as pessoas flagradas fazendo boca de urna serão levadas para o Ginásio Ronaldão, no bairro do Cristo. "De lá, essas pessoas só sairão após o final do pleito e ainda responderão a processo", explicou o juiz.

Bezerra lembra que no dia das eleições só é permitida a manifestação silenciosa e individual do eleitor. A lei impede o uso de alto-falantes e amplificadores de som, promoção de comício ou carreata, arregimentação de eleitor, além da boca de urna.

Tais crimes podem ser punidos com multa que varia de 5 a 15 mil UFIR (R$ 5.320,00 a R$ 15.961,00), além de detenção de seis meses a um ano, podendo ser transformada em pena alternativa de prestação de serviços à comunidade.


Especial para Terra