São Luís

Terça, 30 de setembro de 2008, 10h35 Atualizada às 11h01

Pedro Fernandes entra na Justiça contra debate em São Luís

  • Notícias

Shirley Freire
Direto de São Luís

O candidato do PTB à Prefeitura de São Luís, Pedro Fernandes, entrou na Justiça contra a realização do debate da TV Mirante, afiliada da TV Globo, marcado para a próxima quinta-feira. Pedro Fernandes alega que o PTB tem representatividade na Câmara, e por isso, teria direito a participar do debate. Conforme a Lei Eleitoral, as emissoras têm obrigação de convidar para o debate todos os candidatos de partidos representados na Câmara dos Deputados.

"Querer me excluir do debate, além de ser contra a lei, é querer vaticinar a minha candidatura a partir de pesquisas eleitorais. Sou candidato, e como tal, tenho o direito de expor e confrontar as minhas idéias com a dos outros candidatos", disse Fernandes. A ação foi protocolada pelo advogado Carlos Seabra no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão.

A polêmica surgiu devido à determinação da Central Globo de Jornalismo sobre o número de candidatos para o debate. Como em São Luís são dez candidatos, apenas os seis primeiros colocados na última pesquisa do Ibope teriam o direito de participar do debate.

O argumento é que o tempo de uma hora e meia imposto a todas as praças onde a emissora tem afiliadas inviabilizaria a exposição das propostas dos candidatos e prejudicaria a avaliação do eleitor caso o número de concorrentes ultrapasse esse limite.

A fórmula do debate e a decisão de convidar os seis primeiro colocados na pesquisa foram definidas em reunião com representantes de todos os partidos e coligações que disputam as eleições na capital maranhense.

Assim, de acordo com as regras, além de Pedro Fernandes (PTB), que aparece com 1% das intenções de voto na pesquisa Ibope divulgada em 18 de setembro, os candidatos Waldir Maranhão (PP), Paulo Rios (PSol) e Welbson Madeira (PSTU) também ficarão de fora do debate em São Luís.

A TV Mirante, ainda não foi notificada oficialmente sobre o pedido de suspensão do debate.


Especial para Terra