Curitiba (PR)

Terça, 30 de setembro de 2008, 08h19 Atualizada às 09h17

Oposição: Richa não concluirá mandato se reeleito em Curitiba

  • Notícias

Roger Pereira
Direto de Curitiba

A nova estratégia dos adversários do prefeito de Curitiba (PR), Beto Richa (PSDB), para tentar reverter uma provável reeleição ainda no primeiro turno é alertar a população sobre a possibilidade de o prefeito renunciar ao mandato em 2010 para disputar o governo do Estado. A possibilidade começou a ser levantada, devido aos índices alcançados por Richa nas pesquisas eleitorais e nas avaliações de sua administração.

"O candidato à reeleição, se vencer no primeiro turno, deve ficar na prefeitura de Curitiba por apenas 15 meses, passando em seguida o mandato para seu vice", declarou a candidata Gleisi Hoffmann (PT), em debate realizado no domingo, na TV Paraná Educativa. Beto Richa não participou do debate. "A população precisa de alguém que se comprometa com Curitiba pelos próximos quatro anos", disse Gleisi, segunda colocada nas pesquisas, mas com mais de 50 pontos percentuais de desvantagem.

A candidata lembrou que outro eleito pelo PSDB, em 2004. já teve a mesma prática. José Serra, quando se candidatou à prefeitura de São Paulo, em 2004, chegou a registrar em cartório que não deixaria o cargo para disputar o governo do Estado, em 2006. Não respeitou o registro e elegeu-se governador de São Paulo.

Para Carlos Moreira (PMDB), a pretensão de Beto Richa de disputar o governo em 2010 seria alimentada com uma vitória já no primeiro turno. "Se o curitibano se deixar levar por pesquisas e pela propaganda milionária, o atual prefeito irá achar que tem um passaporte para o governo do Estado e irá permanecer na prefeitura por apenas um ano e meio. É preciso discutir agora se é isso que o curitibano quer, para que não se vote em um e tenhamos outro administrando a cidade", analisou.

Apesar de o prefeito de Curitiba declarar que não pensa nas eleições de 2010 e lembrar que o PSDB faz parte de uma grande aliança de oposição (PSDB, PDT, DEM, PPS e PSB) ao atual governo paranaense, "que tem vários nomes muito bons", já há uma mobilização de tucanos importantes que defendem a candidatura de Beto Richa ao governo. Um dos líderes dessa corrente é o deputado federal Gustavo Fruet. "Com esses índices, ele se torna favorito para a sucessão estadual. Mas agora temos que focar nas eleições municipais. Essa discussão é para depois da eleição", disse.


Especial para Terra