PortoVelho (RO)

Segunda, 29 de setembro de 2008, 02h14 Atualizada às 02h14

RO: Sobrinho é alvo de adversários em debate

Candidatos à prefeitura da capital participam de debate
Candidatos à prefeitura da capital participam de debate
Ivonete Gomes/Especial para Terra

Ivonete Gomes
Direto de Porto Velho

Os candidatos à prefeitura de Porto Velho participaram de debate realizado pela Rede Record , nesse domingo, na capital rondoniense. Durante o evento, os candidatos oposicionistas tentaram polemizar com o líder das pesquisas e atual prefeito Roberto Sobrinho (PT). Sobrinho, em sua primeira manifestação, avisou que não iria concordar com baixarias.

Adilson Siqueira (Psol) e Alexandre Brito (PTC) levantaram temas relacionados à atual administração. Os candidatos questionaram supostos gastos milionários com combustível, mídia e na Fundação Escola do Servidor Público (Fundescola). Pelas regras do evento nenhum deles poderia apresentar documentos ou imagens.

O primeiro questionamento foi feito por Siqueira, que queria saber sobre os investimentos na qualificação do servidor público. Ele considerou que a resposta de Sobrinho, de que eram realizadas diversas ações de qualificação, era inverídica. O candidato do Psol disse também que a Fundescola gastou mais de R$ 58 milhões.

Alexandre Brito também atacou a atual administração. Reclamou do alto valor do contrato de publicidade da prefeitura e afirmou que no ano passado foram gastos mais de R$ 10 milhões com a compra de combustíveis.

Sobrinho não desmentiu os valores dos combustíveis, mas disse que o gasto era necessário porque mais veículos e máquinas para obras foram adquiridas. "E ninguém usa combustível para passear", comentou.

O atual prefeito também foi alvo de questionamentos sobre o emprego de parentes na administração. Sobre isso, explicou que a nomeação de seu cunhado no Instituto de Previdência dos Servidores Públicos (IPAM) ocorreu por ele ser servidor efetivo do município, além de "ter competência e ser honesto".

Em certo momento do debate, Hamilton Casara (PSDB) acusou Lindomar Garçon (PV) de não falar a verdade ao dizer que em Candeias, município administrado por Garçon, há 100% de água tratada. Garçon atacou. "O senhor não mora lá e não pode falar nada a respeito".

No final do debate, os ataques continuaram. Adilson Siqueira denunciou que o gabinete da atual vice-prefeita, Claudia Carvalho, foi esvaziado e o prefeito mandou cortar seu telefone. Sobrinho desmentiu as acusações após receber direito de resposta. O candidato à reeleição afirmou respeitar sua vice.


Especial para Terra