Natal (RN)

Sábado, 27 de setembro de 2008, 18h56

Candidato do PSDC faz carreata em Natal

O candidato do PSDC, Joanilson Rego, faz carreata em Natal
O candidato do PSDC, Joanilson Rego, faz carreata em Natal
Juliska Azevedo/Especial para Terra

Juliska Azevedo
Direto de Natal

Durante uma carreata em seis bairros da cidade de Natal (RN), o candidato do PSDC à prefeitura da cidade, Joanilson Rego afirma que terá nas urnas um desempenho melhor do que nas pesquisas. "O povo está esperando por aquilo que nós representamos. O povo está esperando por algo diferente e nós somos essa diferença", disse.

Ele disse que a carreata comemorou seu crescimento em pesquisas de intenção de voto de institutos locais, nas quais apareceria em quarto lugar, com índice de 4% em média.

Promotor e professor universitário aposentado, Joanilson diz basear sua campanha no resgate da ética na administração pública. Com o bordão "dê-me seu voto, que lhe dou minha honestidade", ele tem feito críticas aos candidatos que lideram a disputam e se apresenta como o único que realmente representa o povo.

Joanilson disse que o financiamento de sua campanha saiu do próprio bolso com a venda de sua casa na praia de Muriú, a 50 km de Natal. O candidato tem dito que tanto ele quanto seu candidato a vice, advogado Paulo Lopo Saraiva (PSDC), abrirão mão dos salários de prefeito e vice-prefeito, caso eleitos.

Debate
O candidato do PSDC informou que ingressou com uma representação junto à 4ª zona eleitoral solicitando sua participação no debate promovido pela Inter TV afiliada da TV Globo na região, na próxima quinta-feira.

De acordo com as regras da emissora, só terão direito a participar, os candidatos cujos partidos têm representação na Câmara dos Deputados, o que não é o caso do PSDC.

"Acredito na Democracia, acredito na Justiça do Rio Grande do Norte que vai nos assegurar esse direito. É no debate que vamos mostrar que nós estamos preparados para administrar Natal de forma que o dinheiro do povo sirva somente ao povo", declarou.

Joanilson disse ainda que nos últimos dias de campanha vai intensificar os trabalhos. "Vamos intensificar nossa agenda para mostrar ao povo que nós somos do povo, não somos das estruturas de dominação, daqueles grupos que escravizam o povo há 40 anos", afirmou.


Especial para Terra