PortoVelho (RO)

Sexta, 26 de setembro de 2008, 07h01 Atualizada às 07h22

Candidatos prometem construir hospital em Porto Velho

  • Notícias

Os sete candidatos que concorrem à prefeitura de Porto Velho prometem a construção do primeiro hospital municipal para a capital. Em comum, Adilson Siqueira (Psol), Alexandre Brito da Silva (PTC), David Chiquilito (PCdoB), Hamilton Casara (PSDB), Lindomar Alves (PV), Mauro Nazif (PSB) e Roberto Sobrinho (PT), também prometem a construção de terminais de integração, a urbanização das vias públicas e também avanços na rede de saneamento básico, que é bastante precária em Porto Velho (menos de 5% da cidade tem rede de esgoto).

Para o taxista Alexandre Nunes, os principais problemas de Porto Velho estão na precariedade do sistema de saneamento básico e na falta de investimentos em saúde. "Os piores problemas da cidade são saúde e saneamento básico. A cidade está feia, tem muito barro e lama na cidade. O hospital também não dá mais conta de toda procura que recebe", disse.

Na avaliação do presidente do Sindicato e Organização das Cooperativas de Rondônia, Salatiel Rodrigues, as melhorias para o setor produtivo e em infra-estrutura municipal são os grandes desafios para a próxima administração municipal.

"Além da infra-estrutura, que inclui saneamento básico e sinalização, a prefeitura tem que estimular o setor produtivo. Esses devem ser os principais objetivos da futura administração local", afirmou.

Nas eleições municipais pela prefeitura de Porto Velho deste ano, todos os candidatos estão com suas candidaturas regularizadas junto ao Tribunal Regional Eleitoral, apesar de três deles estarem envolvidos em situações irregulares perante a Justiça.

Alexandre Brito responde atualmente a uma ação penal por homicídio culposo e lesão corporal. Hamilton Casara atualmente é réu em um processo por improbidade administrativa e Lindomar Barbosa é acusado de ter contratado funcionários e omitir seus nomes da folha de pagamento, burlando o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e a Previdência.


Agência Brasil