João Pessoa (PB)

Quinta, 25 de setembro de 2008, 07h50 Atualizada às 07h56

Desperdício de feijão gera ação eleitoral na PB

  • Notícias

Michelle Sousa
Direto de João Pessoa

O desperdício de oito toneladas de feijão pela prefeitura de João Pessoa acabou gerando um pedido de notícia crime na 64ª zona eleitoral da capital paraibana por parte da coligação Por Toda João Pessoa, encabeçada pelo candidato a prefeito João Gonçalves (PSDB). O material apreendido foi levado para a Polícia Federal.

A denúncia veio à tona através da assessoria jurídica do candidato tucano. Segundo o advogado José Ronald, integrantes da coligação foram averiguar uma suposta distribuição de feijão na madrugada desta quarta-feira a partir de um carregamento que sairia num caminhão da Empresa de Limpeza Urbana (Emlur).

O caminhão da Emlur de fato saiu carregado de feijão e foi direto para o aterro sanitário municipal, onde o alimento foi jogado no lixo. "O que é estranho é que foi de madrugada e quando o nosso pessoal se aproximou, eles saíram em disparada e levaram isso para o lixão", explicou.

Integrantes da coligação recolheram parte do material e entraram com pedido de notícia crime na Justiça Eleitoral. Na embalagem do produto não havia data de validade, apenas a logomarca da prefeitura e do governo federal como alimento parte do programa de segurança alimentar.

Nota
A prefeitura divulgou nota oficial informando que as oito toneladas do feijão foram descartadas porque laudos técnicos identificaram contaminação por fungo. Uma sindicância foi aberta para apurar responsabilidades e saber as causas da contaminação, bem como da demora para a distribuição do produto.

Na nota, o uso político do fato é motivo de lamentação. "A Prefeitura de João Pessoa lamenta que este caso, estritamente administrativo, venha sendo explorado politicamente em pleno período eleitoral por candidatos de proa de coligações contrárias à atual gestão, tentando ter dividendos políticos junto à população", conclui o texto divulgado à imprensa.

O delegado da Polícia Federal Derly Brasileiro encaminhou peritos ao lixão para fazer investigações e recolher mais amostras do feijão. Ele apreendeu o material apresentado pela coligação. "Vai se verificar se tem alguma conotação política, eleitoral para o caso. Eu preciso de requisição da justiça para instaurar inquérito nesse sentido".


Especial para Terra