Vitória (ES)

Quinta, 28 de agosto de 2008, 22h27 Atualizada às 23h18

Câmara de Vitória cassa vereador acusado de fraude

  • Notícias

Alex Cavalcanti
Direto de Vitória

A Câmara Municipal de Vitória cassou o mandato do vereador e candidato à reeleição Gilmário da Costa Gomes, o Passarinho. Ele é acusado pelo Ministério Público Estadual de peculato, corrupção passiva e concussão (vantagem indevida).

» Presidente da Câmara de Teresina é cassado
» TRE-GO cassa dois vereadores de Anápolis

Segundo a denúncia do MP, Gomes se apropriava de parte dos salários de funcionários que trabalhavam em seu gabinete. Em alguns casos, os vencimentos eram integralmente transferidos para ele. O esquema ficou conhecido como "rachid".

O parlamentar perdeu o cargo após nove, dos catorze vereadores, votarem a favor do relatório do presidente da Comissão de Justiça da Municipal, Esmael Almeida (PMDB). Outros cinco parlamentares foram contra o documento.

Após a decisão, houve princípio de tumulto na Câmara de Vitória. Partidários de Gilmário se irritaram com a cassação e ofenderam e ameaçaram outros vereadores. A situação foi controlada, mas o clima continuou tenso do lado de fora.

A 8ª Promotoria de Justiça Cível de Vitória ajuizou ação por atos de improbidade administrativa contra o vereador, que também responde à ação penal. Por conta disso, Passarinho ficou preso por 35 dias e teve 40% do salário bloqueado pela Justiça.

A reportagem tentou entrar em contato com o vereador e seu advogado, mas ainda não obteve retorno.


Especial para Terra