Natal (RN)

Terça, 19 de agosto de 2008, 09h17 Atualizada às 14h23

Natal: primeiro debate discute alianças

  • Notícias

Juliska Azevedo
Direto de Natal

A questão das alianças e apoios políticos esquentou o primeiro debate da disputa para prefeito de Natal, Rio Grande do Norte, que reuniu os oito candidatos - Micarla de Sousa (PV), Fátima Bezerra (PT), Wober Júnior (PPS), Joanilson Rego (PSDC), Pedro Quithé (PSL), Miguel Mossoró (PTC), Dário Barbosa (PSTU) e Sandro Pimentel (Psol) - em um programa transmitido ao vivo pela TV Universitária na noite desta segunda-feira. O evento foi promovido pelo Centro Acadêmico do curso de Direito da UFRN e pelo núcleo de Jornalismo da TV-U.

» RN: Natal tem primeiro debate
» Natal: candidatos arrecadaram 346,5 R$ mil
» vc repórter: mande fotos e notícias

Em duas horas e quarenta minutos de programa, divididos em cinco blocos, os candidatos puderam fazer perguntas entre si e apresentaram propostas com enfoque mais marcante para saneamento e transporte.

No terceiro bloco, quando tiveram tema livre para as perguntas, o foco da discussão foram as alianças em torno das candidaturas de Micarla e Fátima.

As candidatas que lideram as pesquisas de intenção de voto, Micarla (54%, Ibope) e Fátima (17%), demonstraram nervosismo e ficaram no foco dos demais candidatos.

A candidata do PV adotou o discurso de que sua candidatura representa o desejo popular, enquanto Fátima lembrou a cada resposta que sua coligação conta com representantes dos governos federal, estadual e municipal, além do presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB).

Saneamento
Um dos temas mais discutidos foi o saneamento. Micarla abriu a discussão lamentando o fato de Natal só ter 32% de seu território saneado, criticou o não cumprimento das metas estabelecidas pela Justiça para a companhia de águas estadual e prometeu priorizar o saneamento.

A candidata Fátima Bezerra referiu-se à fala de Micarla dizendo que a obra não será feita com "blá, blá, blá", citando que, como deputada federal, ajudou a garantir os recursos para a execução do plano estadual de saneamento. "Ao final de quatro anos de administração vamos sanear Natal completamente", prometeu.

Demonstrando tranqüilidade, Wober Júnior criticou a abordagem feita por Micarla e Fatima à questão do saneamento, destacando que, para empreender qualquer ação, é preciso inicialmente fazer um plano municipal de saneamento. "O governo federal disponibilizou R$ 1,4 milhão para esse plano e até agora nada foi feito. E se o prefeito não o fizer, vai perder", afirmou.

Política
No terceiro bloco do debate, quando partiram para temas políticos, Dário Barbosa perguntou a Micarla se a aliança em torno de sua candidatura não se tratava "também de um acordão", termo pejorativo com que os adversários já classificam a aliança em torno de Fátima Bezerra.

Micarla citou que cinco dos seis partidos de sua aliança política fazem parte da base de sustentação do Governo Lula, PV, PP, PTB, PMN e PR, destacando que vão ajudá-la a administrar. A aliança conta também com o DEM.

"Os que me apóiam são amigos e companheiros que acreditam que Natal pode ser melhor sim. Mas o nosso acordo foi feito com o povo, com a população, que tem entendido nossas idéias", afirmou.

Dário Barbosa discordou da candidata dizendo que há "dois acordões em Natal, divididos em duas partes", e que tanto no caso de vitória de Micarla quanto de Fátima, Lula e Wilma "terão palanque para 2010".

O segundo momento em que as alianças foram questionadas foi quando Sandro Pimentel perguntou a Fátima se ela havia mudado de idéia com relação aos seus antigos adversários, atuais aliados.

"A senhora dizia que Henrique Alves era deputado Copa do Mundo, que Wilma era filhote da ditadura, questionava Garibaldi sobre a venda da Cosern", lembrou.

Fátima reconheceu que disputou eleições com os atuais aliados, mas disse que faz parte da democracia e que hoje se sente feliz em reunir esses apoios. "Porque tanto eu amadureci quanto a governadora amadureceu quando deixou a aliança com o DEM", afirmou. "As pessoas estão comendo no prato que sempre cuspiram", respondeu Pimentel.

Trânsito
Sobre o trânsito, a discussão girou em torno da construção de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), ou metrô de superfície. A candidata do PV disse que os recursos para obras desse porte existem, "desde que se tenha os projetos certos".

A deputada Fátima Bezerra também prometeu fazer o VLT, mas incluindo no PAC da mobilidade urbana do Governo Lula. Wober Júnior voltou ao tema dizendo que a construção de um VLT em Recife, Pernambuco, apesar de ter sido incluído no PAC, não encontrou qualquer empresa interessada na concorrência da obra.

Propostas
O candidato Miguel Mossoró, do PTC, chamou a atenção por voltar a apresentar propostas curiosas, como a construção de um teleférico no morro do Careca, duna localizada na praia de Ponta Negra e um dos principais cartões postais da cidade.

Ele também prometeu adotar o Plano 100 na educação, que consiste em premiar com uma viagem a Disney os 100 melhores alunos da rede municipal.

Joanilson Rego dedicou boa parte do tempo do debate a apresentar sua opinião contra a corrupção e a favor da ética na administração pública.

Pedro Quithé apresentou propostas para atender à classe estudantil, como gratuidade no transporte coletivo.


Especial para Terra