São Paulo (SP)

Terça, 15 de julho de 2008, 18h34 Atualizada às 18h42

PPS pede ao TRE impugnação de candidatura de Maluf

  • Notícias

O Diretório Municipal do Partido Popular Socialista (PPS) em São Paulo entrou com uma representação no Tribunal Regional Eleitoral contra o candidato Paulo Maluf (PP), pedindo a impugnação do pedido de registro de sua candidatura.

» Maluf usa música de torcida em campanha

O PSS alega que Maluf "não demonstrou estar no pleno exercício de seus direitos políticos", afirmando que, pelas certidões apresentadas por ele não é possível deduzir se o candidato do PP já foi ou não condenado nas ações penais que figura como réu. Orientada pela assessoria de imprensa de Malufm a reportagem procurou a advogada do candidato e aguarda retorno.

Segundo o PPS, Maluf responde a ações penais e processos por improbidade administrativa, "não apresentando condição de elegibilidade implícita, qual seja, vida pregressa compatível com o exercício de cargo eletivo". O partido também alega que o candidato está inelegível, de acordo com "os princípios constitucionais da moralidade e probidade administrativa".

A representação do PPS ressalta ainda que "até pelo considerável número de ações em que o impugnado figura como réu, principalmente por se tratar inclusive de ações criminais e de improbidade administrativa, era imprescindível a juntada de certidão de objeto e pé de cada um desses processos, para demonstrar que não houve condenação que implique na suspensão de seus direitos políticos".

"Ainda que tivesse comprovado estar no pleno exercício de seus direitos políticos, o que se admite apenas para argumentar, ele não se apresenta como cidadão de vida pregressa recomendável ou isenta de elementos indiciários que apontem no sentido da moralidade pública e probidade administrativa", afirmou, em nota, o presidente do PPS-SP, Carlos Fernandes.


Redação Terra