Vitória (ES)

Terça, 8 de julho de 2008, 07h13 Atualizada às 07h36

Vitória: Igreja pede que eleitor não vote em "fariseu"

  • Notícias

Alex Cavalcanti
Direto de Vitória

A capital capixaba, Vitória, é uma das cidades com menor número de candidatos nas eleições municipais em todo o País. Apenas três candidatos disputam a prefeitura. Mas enquanto a Justiça Eleitoral no Espírito Santo afirma que só poderá divulgar nomes de candidatos com "ficha suja" se houver uma resolução do TSE regulando o assunto, a cúpula da Igreja Católica no Estado decidiu partir para o ataque. A arquidiocese de Vitória lançou uma cartilha sobre as eleições, na qual pede aos fiéis que não votem em "candidato fariseu", numa referência a políticos considerados dissimulados e hipócritas.

A cartilha "Construindo a Democracia - Eleições 2008" foi lançada pelo arcebispo de Vitória, d. Luiz Mancilha Vilela. "A Igreja não defende partidos nem ideologias, mas explica o que se espera de um candidato. A cartilha tem orientações para que o cidadão possa escolher bem seu representante. Em resumo, orientamos as pessoas a votar naqueles que defendem a dignidade da pessoa humana", explica o arcebispo.

Com tiragem de 50 mil exemplares, a cartilha foi elaborada pela equipe de Material Político da Arquidiocese de Vitória e será distribuída em todo o Estado.

Candidatos
Na busca do segundo mandato, o atual prefeito, João Coser (PT), candidato à reeleição trocou de vice. O atual, Sebastião Balarini (PSB), foi preterido em favor do ex-chefe de gabinete do governador Paulo Hartung (PMDB), o jornalista Tião Barbosa (PMDB).

Rivalizando com Coser na disputa pelo eleitorado e, também, pelo apoio do governador Paulo Hartung, está a aliança entre PPS e PSDB. Luciano Rezende (PPS) é um aliado histórico do governador e, atualmente, o único vereador de oposição na Câmara Municipal de Vitória. A aliança com PSDB e DEM coloca os dois principais partidos da base de apoio do governador em confronto com o PT de Coser e o PMDB do próprio Hartung. O nome do candidato a vice-prefeito, Eliseu Moreira (PSDB), foi definido nos últimos instantes para o fim do prazo.

Essas duas chapas prometem polarizar a disputa na capital. Os dois grupos são alinhados ao Palácio Anchieta e declaram ter o apoio do governador Paulo Hartung, que, até o momento, não se manifestou a favor de nenhuma das chapas e, provavelmente, não o fará. Não seria a primeira vez que Hartung escolheria o caminho da "neutralidade" em disputas entre seus aliados.

Também está na disputa o único candidato de esquerda - Carlos Araújo (Psol). O partido vai para a disputa sem alianças e apresenta como candidata a vice a estudante universitária Marcela Preste (Psol).


Redação Terra