Aracajú (SE)

Segunda, 7 de julho de 2008, 18h41 Atualizada às 20h41

Cinco candidatos concorrem à prefeitura de Aracaju

  • Notícias

Cássia Santana
Direto de Aracaju

Na capital sergipana, Aracaju, cinco candidaturas foram homologadas na segunda-feira, dia 30, último dia de prazo para as convenções partidárias, e devidamente registradas no dia 5 de junho na Justiça Eleitoral.

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) é candidato à reeleição com apoio de 13 partidos: PT (com a indicação do vice, Sílvio Santos), PSB, PDT, PSDB, PPS, PSL, PRB, PTN, PSDC, PSC, PR, PRP e PMN. Os registros das candidaturas foram feitos na 2ª Zona Eleitoral, sob o número 18/2008 e 19/2008, respectivamente.

O senador Almeida Lima (PMDB) fez uma aliança com o PV, PHS, PTdoB, PTB, PRTB e PTC. O empresário José Alves, indicado pelo PTdoB, é o candidato à vice. As candidaturas estão registradas com os números 88/2008 e 89/2008, respectivamente, na 1ª Zona Eleitoral.

O deputado federal Mendonça Prado (DEM) e Pedrinho Valadares (DEM), concorrem a prefeito e vice, em uma aliança com o PP, com registros 91/2008 e 92/9008, respectivamente, na 1ª Zona Eleitoral.

A sindicalista Vera Lúcia Pereira (PSTU), concorre na chapa com o candidato a vice, Dalto Francisco (Psol), com registros 13/2008 e 14/2008, respectivamente, na 1ª Zona Eleitoral.

Já o PCB saiu sozinho com chapa encabeçada pelo professor Anderson Gois e Waltiglei Santos de Oliveira, na vaga de vice, sob registros 53/2008 e 54/2008, respectivamente, na 2ª Zona Eleitoral.

Em Sergipe, o PT e o PSDB são adversários históricos. No entanto, nas últimas eleições, o PT tem buscado entendimentos com o deputado federal Albano Franco, que lidera o PSDB no Estado. Em 2006, as conversas foram freqüentes entre estes partidos, mas o PSDB se definiu, de última hora, pelo apoio à reeleição do então governador João Alves Filho, indicado pelo PFL (hoje DEM). No embate, o governador Marcelo Déda (PT) foi eleito com 52,46% dos votos. Nessa eleição, o PSDB surpreendeu por não deixar a decisão para última hora.

Agora, o ex-governador João Alves Filho, que seria o candidato do DEM para prefeito da capital, desistiu da disputa em função do estado de saúde de sua mulher, a senadora Maria do Carmo Alves, que aguarda definição de data para se submeter a uma cirurgia para retirada de um tumor na meninge.

Já o PMDB sai rachado. O senador Almeida Lima lidera o diretório municipal, que, em convenção, homologou todos os entendimentos feitos pelo senador. Mas a executiva estadual, liderada pelo deputado federal Jackson Barreto, anunciou apoio, mesmo impedido de fazer coligação, à reeleição do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). Jackson participou da festa do PCdoB e afirmou que, pelos desentendimentos no partido, este seria o pior momento de sua histórica política.

Em Aracaju, dois candidatos enfrentam problemas judiciais. O prefeito Edvaldo Nogueira e o senador Almeida Lima já foram condenados por propaganda eleitoral antecipada. Almeida foi condenado a pagar multa no valor de R$ 55,2 mil e Nogueira à multa de R$ 21,2 mil. Ambos ingressaram com recurso junto ao TRE, questionando as decisões de primeira instância. O Ministério Público já ingressou com uma outra ação contra o prefeito Edvaldo Nogueira, também por propaganda eleitoral antecipada, supostamente realizada durante os festejos juninos. A ação ainda está em tramitação na 36ª Zona Eleitoral.


Redação Terra