Campo Grande (MS)

Segunda, 7 de julho de 2008, 19h41 Atualizada às 20h24

Campo Grande tem coligação de 19 partidos

  • Notícias

Alvaro Marzochi
Direto de Campo Grande

A disputa pela prefeitura de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, tem cinco candidatos confirmados. O atual prefeito, Nelson Trad Filho (PMDB), concorre à reeleição e quer dar mais quatro anos de governo ao PMDB, que está no poder desde 1996. Trad tem o apoio do ex-prefeito e atual governador, André Puccinelli (PMDB), e vai encabeçar a coligação "Campo Grande cada vez melhor", formada por 19 partidos.

Após o término do prazo para o registro das chapas junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no dia 5, foram oficializados ainda os nomes do deputado estadual Pedro Teruel (PT), do presidente regional do PSTU, Suel Ferranti, do funcionário público federal Henrique Martine (Psol) e da contabilista Iara Costa (PMN).

Na campanha, o atual prefeito quer dar ênfase à continuidade dos projetos e mostrar o que já foi feito no período em que esteve na administração municipal. O vereador Edil Albuquerque, da mesma legenda, é o vice na chapa. Juntos, PMDB, PRB, PR, PDT, PP, PPS, PSDB, DEM, PV, PTN, PRP, PSC, PTdoB, PTC, PSDC, PRTB, PTB, PHS e PSB colocaram na disputa 166 candidatos a vereador.

Trad realizou uma verdadeira maratona de inaugurações de obras até o dia 5, data limite, segundo a legislação eleitoral, para os prefeitos que tentam a reeleição participarem desse tipo de evento. A campanha do candidato começa oficialmente no dia 10, quando retorna de uma viagem à Washington, nos Estados Unidos, onde foi firmar convênios com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Apoio de Lula
A oposição é liderada pelo PT, que só conseguiu chegar a um segundo turno em Campo Grande em 1996. Nas últimas duas eleições, a disputa foi liquidada por um peemedebista com mais de 50% dos votos no primeiro turno.

O deputado estadual Pedro Teruel afirma que fará uma campanha baseada em propostas sociais e no trabalho do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Cartazes com as fotos dos dois já estão sendo confeccionados e Teruel disse que vai a Brasília, para juntos gravarem vídeos de campanha.

O PCdoB, aliado histórico do PT, discutia desde 2007 o apoio a candidatura da atual gestão do PMDB, mas resolveu aceitar o convite dos petistas e indicou o vice na chapa, lançando o nome do presidente regional, Moacir de Abreu. O objetivo da aliança é "criar e fortalecer uma alternativa ao candidato da atual gestão", disse Abreu.

O presidente regional do PSL, Emídio Milas, também anunciou que o partido deixa a aliança para a reeleição do prefeito Trad para apoiar Teruel, onde acredita que tem mais chances de eleger um vereador. Os três partidos formam a coligação "Com Lula e a força do povo" e juntos vão lançar na eleição proporcional 42 candidatos à Câmara Municipal.

Em março, o PRB e o PTB chegaram a ensaiar, com o PT, a formação de um bloco de oposição à gestão do atual prefeito, mas não foi concretizado. O desmonte começou em maio, por interferência do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson (PTB-RJ), que destituiu o empresário Antônio João do cargo de presidente regional, principal defensor do grupo, alegando que ele estava fechando as portas para os outros partidos. Hoje, o PTB está no bloco de apoio à Trad, com seis candidatos a vereador.

O PRB também desistiu da aliança e anunciou a decisão oficial de apoiar a candidatura à reeleição de Trad. Na convenção, o partido teve uma única proposta: a de coligação na majoritária e na proporcional com o PMDB. Assim, o presidente municipal, Aluízio Borges, oficializou a retirada da candidatura da ex-primeira-dama de Mato Grosso do Sul, Maria Aparecida Pedrossian, sepultando o bloco de oposição.

Coincidentemente, na sexta-feira (4), Trad e Teruel, que devem polarizar a disputa, chegaram a se encontrar e trocar cumprimentos na 36ª Zona Eleitoral, onde protocolaram seus pedidos de candidatura. No domingo, o candidato do PT já saiu em campanha, com participação em uma missa e visitas aos bairros.

Chapas puras
O PSTU lançou na disputa o nome do presidente municipal em Campo Grande, Suél Ferranti, que também já foi candidato na última eleição. "Vamos focar na classe trabalhadora, com propostas na área da saúde, educação, transporte e moradia", afirmou o candidato. O cargo de vice ficou com a professora Ângela Maria Silva, da mesma legenda, que nunca participou de uma disputa eleitoral. Eles foram os primeiros a registrar a candidatura à prefeitura e de um candidato à Câmara Municipal, no dia 1º de junho.

A candidatura de Ferranti já havia sido anunciada no dia 22, mas só foi oficializada no dia 30, pois o partido ainda aguardava a decisão das convenções do Psol e do PCB. O primeiro decidiu não aceitar o convite de indicar o vice junto ao PSTU e lançou candidato próprio. Já o segundo decidiu por apoiar o prefeito Trad.

O Psol optou por lançar à prefeitura o nome do funcionário público federal Henrique Martini e da cabeleireira Ivone Teodoro como vice, também iniciante nas disputas eleitorais. O foco da campanha será nas áreas da saúde e educação. "A proposta é democratizar as relações com a cidade, levando as discussões até a população", disse Martini. No sábado, perto do fim do prazo, eles foram os últimos a fazer o registro junto ao TRE, lançando também o nome de quatro candidatos a vereador.

O PMN também decidiu lançar candidatura própria, indicando o nome da contabilista Iara Costa à disputa eleitoral. O partido, que até então caminhava para apoiar o atual prefeito, teve uma reviravolta, comandada pelo presidente regional, Adalton Garcia de Freitas, que chamou a coligação em volta de Trad de "chapão".

Iara é sobrinha do ex-deputado federal pelo PT, Manoel Vitório. Como vice, foi indicado o capitão da reserva do Exército Ionaldo José Arce. O partido lançou também 32 candidatos a vereador e disputará com chapa pura as eleições majoritária e proporcional.

A única mulher a disputar a prefeitura de Campo Grande registrou a candidatura no sábado e já no domingo começou a campanha, com caminhadas e visitas a residências nos bairros da cidade.


Redação Terra