Você Sabia?

 
 

Notícias » Educação » Você sabia? » Ciência » Ciência

 O chiclete gruda no estômago quando o engolimos?

Sua mãe, avó ou algum parente com certeza deve ter avisado você, quando criança: não engula o chiclete, porque ele "gruda" no estômago ou no intestino e vai fazer muito mal. Pior: pode levar anos para que a goma de mascar saia do organismo.

» Um pum pode pegar fogo?
» Por que a barriga ronca quando sentimos fome?
» Por que bocejamos?

Se você já passou pela situação acima, não se assuste: essa crença não passa de lenda urbana. "Engolir o chiclete não traz problemas. Mesmo assim, não se recomenda que a pessoa engula porque ele não é um alimento", avisa o gastroenterologista Guilherme Becker Sander.

Tanto não é alimento que a goma de mascar, em si, não é digerida pelo nosso sistema digestivo. "Componentes como corantes e açúcar, utilizados para dar sabor à goma, são dissolvidos ainda na boca, durante a mastigação, e depois são absorvidos. Mas o chiclete, caso engolido, é eliminado junto com as fezes", explica Sander.

O gastroenterologista explica que crianças pequenas, de dois anos para baixo, não devem mascar chicletes. Caso seja engolida, a goma pode entrar pela traquéia e causar asfixia. "Por isso, até mesmo balas representam perigo para crianças desta idade", conta.

O chiclete, geralmente, é constituído por quatro ingredientes: aromatizantes, adoçantes, amaciantes e a base da goma. Esta última é feita de substâncias químicas sintéticas que permitem que o chiclete seja mastigável. Por isso mesmo ela resiste às propriedades digestivas da boca.

A goma de mascar como a conhecemos hoje, mastigável e doce, surgiu por volta da década de 1860, quando o fabricante de doces Thomas Adams começou a produzir o chiclete de sua marca, até hoje na famosa caixinha amarela.

Você tem perguntas sobre algo curioso ou inusitado? Então participe do Você Sabia?. Clique aqui e envie já a sua pergunta.

Redação Terra