Você Sabia?

 
 

Notícias » Educação » Você sabia? » Ciência » Ciência

 A água-viva pode ser fatal para o ser humano?

Existem mais de mil espécies de águas-vivas espalhadas pelo mundo, mas duas delas têm causado alguns problemas para os banhistas no litoral do Brasil, principalmente em São Paulo, como a Chiropsalmus quadrumanus e a Tamoya haplonema.

» Aquecimento pode ter trazido animais
» Saiba o que fazer em caso de queimadura

Mas segundo o biólogo Guilherme Domenichelli, a água-viva e a caravela portuguesa, encontradas na costa brasileira, são pouco perigosas e, até hoje, não existem relatos de contatos fatais entre esses animais marinhos e os seres humanos.

Segundo ele, estas espécies possuem tentáculos responsáveis pela produção do cisto, substância que, se colocada em contato com o homem, libera um veneno urticante que causa irritação, inchaço e vermelhidão na pele.

As águas-vivas e as caravelas pertencem ao grupo dos cnidários, o mesmo das medusas. Felizmente, as existentes no Brasil não estão entre as espécies que podem levar à morte, como as que habitam a Austrália, onde vários casos fatais foram registrados nos últimos anos.

Invasão

Sobre a invasão de águas-vivas no litoral paulista durante o feriado de ano-novo, quando cerca de 300 pessoas sofreram queimaduras, o biólogo explicou que as alterações climáticas ou o desequilíbrio ambiental no habitat da espécie, incomum nessa época do ano, podem ter sido os principais fatores para a proliferação do animal na região.

"É uma inverdade quando dizem que estes animais marinhos atacam as pessoas. As ocorrências não podem ser chamadas de ataque porque as águas-vivas são carregadas pela maré e liberam o seu veneno apenas quando se sentem ameaçadas por predadores", afirmou.

Você tem dúvidas sobre algo curioso ou inusitado? Então participe do Você Sabia?. Clique aqui e envie já a sua pergunta.

Redação Terra