Você Sabia?

Notícias » Educação » Você sabia? » Você sabia?

 Afinal, por que a Torre de Pisa é torta?

Comentários
 
Quem vê pensa que a Torre de Pisa foi construída de forma inclinada Foto: Getty Images

Quem vê pensa que a Torre de Pisa foi construída de forma inclinada
Foto: Getty Images

A Torre de Pisa, na Itália, causa espanto aos turistas que visitam o local pela inclinação acentuada. Segundo o professor Marco Antônio Hansen, da Faculdade de Geologia da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), no Rio Grande do Sul, um dos principais fatores para a inclinação foi a escolha do lugar onde a torre foi construída.

"O local é instável e possui um grau de compactação extremamente baixo, onde existia antes um banhado", informou.

Hansen contou que, à medida que a obra ia avançando, os engenheiros tentaram endireitar a inclinação, construindo os andares um pouco maiores do lado mais baixo.

Mas a medida não deu certo e só prejudicou a construção, porque aumentou a instabilidade com o excesso do peso. "No princípio, as pessoas pensavam que a Torre de Pisa tinha sido concluída com a finalidade de ser realmente torta, mas a inclinação foi acontecendo gradativamente", destacou.

Para o geólogo, se não forem tomadas medidas de compensação na base, a torre corre um sério risco de desabar dentro de alguns anos.

"Para retomar o equilíbrio, seria necessário fazer um estudo geotécnico mais apurado da área para, talvez, instalar um esquema de pêndulo, acrescentando peso em sua base para contrabalançá-la junto ao terreno."

A Torre de Pisa, que se localiza na praça dos Milagres, em Pisa, na Itália, começou a ser construída em 1174 e foi projetada para abrigar o sino da catedral da cidade. A estrutura começou a inclinar quando três dos oito andares já estavam prontos. A obra foi finalizada em 1350, com 56 m de altura.

Atualmente, a inclinação da torre chega a cerca de 3,97 graus e aumenta em uma média de 20 mm por ano. Um trabalho iniciado na base da estrutura em 1990 conseguiu diminuir a inclinação em 1,3 cm.

Brasil
Na orla da praia de Santos, no litoral de São Paulo, alguns prédios também sofrem com um problema parecido. Dois dos edifícios foram apelidados de "beijoqueiros" pelos moradores por ficarem inclinados um para o outro. Nesse caso, Hansen afirmou que o problema pode ser verificado pela arenosidade do terreno onde se localizam as edificações.

"O aumento do número de construções e de pessoas nesse local aumentou a pressão no lençol freático da área, descarregando um peso maior no lugar mais fraco. Essa carga gera uma força gigantesca, capaz de afetar qualquer estrutura", explicou.

Você tem dúvidas sobre algo curioso ou inusitado? Então participe do Você Sabia?. Clique aqui e envie já a sua pergunta.

Redação Terra