Sensação térmica é a mesma coisa que temperatura?

Ao acordar durante a semana e deparar-se com o frio e a chuva lá fora, levantar da cama para encarar as aulas de física pode se tornar um desafio ainda maior para os estudantes, que querem mesmo é se enrolar debaixo das cobertas. No entanto, os fenômenos que chegam com o inverno são prova de que a física não se limita aos livros. Pelo contrário: está presente no cotidiano, seja em garrafas térmicas ou no calor da lareira.

Na imagem de 2009, os gêmeos siameses na Indonésia, que morreram cinco dias após o nascimento
Na imagem de 2009, os gêmeos siameses na Indonésia, que morreram cinco dias após o nascimento
Foto: AFP

Sensação térmica é o mesmo que temperatura? Confira

Primeiro, é preciso esclarecer o porquê dos livros de ciências fazerem questão de distinguir as palavras "calor" e "temperatura". Para transformar a percepção térmica subjetiva em fator científico, foi criada a medida "temperatura", grandeza física que quantifica o quente e o frio. O "calor" é o que provoca a variação entre esses dois extremos, definido pela física de forma um pouco diferente daquela que ensina o senso comum. "Calor é a energia transmitida a um corpo para que ele fique mais quente ou a energia que esse corpo perde para resfriar-se", explica o professor de Física do Cursinho da Poli (SP), Bassam Ferdinian.

Ferdinian acrescenta que o recebimento ou a perda de calor é também o que ocasiona a mudança de estado físico, fenômeno que promove a geada e a neve. A medição da temperatura pode ser feita em três escalas: Celsius, utilizada no Brasil; Fahrenheit, usada em países como os Estados Unidos; e Kelvin, adotada pelo Sistema Internacional de Unidades que marca zero absoluto, equivalente a - 273°C.

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra
publicidade