Você Sabia?

publicidade
18 de dezembro de 2013 • 09h34 • atualizado às 09h46

Irmãos Wright: primeiro voo motorizado da história completa 110 anos

O "Flyer I" dos Irmãos Wright em 17 de dezembro de 1903: primeiros a voar, mas sem testemunhas
Foto: Wikimedia
 

A invenção mais famosa do brasileiro Alberto Santos Dumont - o avião -, não lhe é creditada no resto do mundo. Isso porque, para muitos, quem criou o avião não foi o brasileiro, e sim os irmãos Orville e Wilbur Wright, dos Estados Unidos. Os defensores dos Irmãos Wright dizem que os inventores realizaram tal empreendimento três anos antes. Foi em 17 de dezembro de 1903 que eles fizeram seu famoso primeiro voo, após quatro anos de testes. Não houve, porém, uma exibição pública, pois eles tinham medo de que outros pudessem copiar sua aeronave.

Veja as sete principais invenções de Santos Dumont
De Verne a Eiffel: por onde passou o sonho de Santos Dumont

A história tem diversas nuances, como a conceituação de avião, mas o fato é que o primeiro a demonstrar publicamente que podia levantar voo com uma aeronave mais pesada do que o ar foi o brasileiro. No dia 23 de outubro de 1906, o mineiro de origem francesa pilotou uma máquina de 290 quilos e motor de 50 cavalos que saiu do chão e pousou sozinha. Em 12 de novembro de 1906, Santos Dumont, a bordo de seu 14-Bis (em uma versão chamada "Oiseau de Proie III"), ganhou o Prêmio do Aeroclube da França, destinado a quem conseguisse tal façanha.

Os irmãos Orville e Wilbur Wright podem ter sido os primeiros a voar em um avião, mas Alberto Santos Dumont fez mais pela aviação. Pioneiro do setor, ele faleceu aos 56 anos acompanhado de depressão, esclerose múltipla e da angústia de ver sua maior criação transformada em uma máquina de guerra. No dia 23 de julho de 1932, no Guarujá (SP), ele tirou a própria vida, mas deixou um legado incrível.

No livro O que eu vi, O que nós veremos, de 1918, Santos Dumont comenta a situação: "Eu não quero tirar em nada o mérito dos irmãos Wright, por quem tenho a maior admiração; mas é inegável que, só depois de nós, se apresentaram eles com um aparelho superior aos nossos, dizendo que era cópia de um que tinham construído antes dos nosso". Mesmo assim, as exibições posteriores dos Wright convenceram o mundo todo, inclusive Paris, cidade que Santos Dumont adotara desde que seu pai o levara para lá quando convalescia de uma doença.

Com informações da GHX Comunicação Terra Terra