publicidade
18 de janeiro de 2014 • 14h54

Existe algum animal imortal? Conheça os seres mais longevos

Essa água-viva só pode ser morta por um predador - já que seu ciclo é "imortal"
Foto: Wikimedia
 

A expectativa de vida varia bastante entre os animais, e há inclusive um que não morre nunca - acredita? É uma água viva que habita a parte mais fria dos oceanos. Diferentes espécies de ostras vivem 50, 100 e até 400 anos. Há peixes, tartarugas e elefantes vivem mais do que os humanos, e estes, por sua vez, têm expectativa de vida cada vez maior.

A expectativa de vida dos animais dependem, muitas vezes, do seu metabolismo. Os que têm um metabolismo mais lento geralmente vivem mais. Veja, a seguir, 10 dos animais mais longevos.

Qual o animal mais longevo da Terra?
O animal mais longevo existente na Terra é uma água viva chamada Turritopsis nutricula, recentemente renomeada para Turritopsis dohrnii, que não morre nunca. Quer dizer, se só se ela for comida por outro animal. Ela é um celenterado e costuma viver nas águas mais frias dos oceanos. “Ela vive na forma de água viva, denominada também de medusa, quando adulta. Em um determinado período, que depende de individuo para indivíduo, ela volta para a forma jovem, que é um pólipo ou forma de anêmona - em cativeiro elas efetuam este ciclo em média 5 vezes ao ano”, explica o professor de animais silvestres da faculdade de veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Leonardo Bôscoli Lara. 

“No caso da água viva, em vez do DNA programar a morte, ele programa a volta dela para o pólipo. É um comando do DNA para essa espécie”, afirma o professor. O processo de envelhecimento e morte está registrado no DNA de cada indivíduo. Na morte celular programada ou apoptose a partir de certa idade, os radicais livres produzidos no próprio metabolismo provocam injúrias cada vez maiores nas células, que se deterioram enquanto o envelhecimento progride, culminando na morte. A produção de radicais livres nos organismos, incluindo o do ser humano, ocorre principalmente na queima dos nutrientes que são ingeridos por mitocôndrias a partir do oxigênio respirado. “Portanto quanto mais afobada for a respiração e quanto mais alimento ingerir, mais radicais livres serão produzidos e mais rápido será o envelhecimento”, afirma Lara. Segundo o professor, esta é a explicação de por que os animais que respiram lentamente, comem pouco proporcionalmente e com metabolismo mais baixo tendem a viver mais.

Quanto tempo vivem as ostras?
A ostra denominada Arctica islandica, que habita regiões de águas muito frias - como o Oceano Ártico - vive, em média, 400 anos. Ela é um molusco bivalve. “Em águas mais frias, o metabolismo é bem lento. Daí, todos os processos são lentos e o animal acaba demorando para morrer”, explica o professor da veterinária da UFMG, Leonardo Lara. O professor diferencia as ostras comerciais das destinadas à alimentação. “As ostras comerciais, que produzem as pérolas, vivem, em média, de 50 a 100 anos. Já as ostras que são para a alimentação, geralmente são abatidas entre dezoito e trinta meses desde o seu nascimento”, explica. Qualquer corpo estranho em seu interior provoca a formação da pérola, mas quanto mais homogêneo for esse corpo estranho, mais redonda fica essa pérola. “Geralmente é introduzido um grão de areia bem redondinho dentro dela para a formação de pérola de qualidade”, explica.

Quanto maior uma tartaruga, mais ela vive?
As tartarugas marinhas também vivem muito. Segundo o professor da faculdade de veterinária da UFMG Leonardo Lara, as maiores geralmente vivem mais. “Existe um relato de uma tartaruga capturada em uma embarcação na década de 1990 que tinha escrito em seu casco o número 1492. Foi feita uma análise da tinta do casco e comprovou que foi escrito aproximadamente 500 anos atrás mesmo”, afirma.

Geralmente, as tartarugas marinhas demoram 25 anos para se tornarem adultas. Em zoológicos, elas costumam morrer de 120 a 180 anos. “Ela é um réptil quelônio e se alimenta tanto de peixes quanto de algas marinhas”, explica o professor. Os répteis quelônios têm a carapaça (parte de cima) e o plastrão (parte de baixo do corpo), e as duas partes se fundem e formam o que seria o “esqueleto” da tartaruga. “É como se a coluna formasse a carapaça, e as costelas, o plastrão”, esclarece o professor. 

Segundo o professor da faculdade de veterinária da UFMG Leonardo Lara, as maiores tartarugas geralmente vivem mais
Foto: macraegi / Wikimedia

Tartarugas de ambientes mais quentes vivem mais?
Existe um relato comprovado sobre uma tartaruga de Galápagos com 255 anos. Ela também é um réptil quelônio e se alimenta com bastante frutas e verduras. Segundo o professor de veterinária da UFMG Leonardo Lara, a longevidade desses animais é uma consequência de seu metabolismo lento. 

As tartarugas de Galápagos estão entre as espécies observadas pelo cientista Charles Darwin e contribuíram para que, no século XIX, ele formulasse a teoria da evolução. Geralmente, elas medem cerca de 1 metro e pesam 250 quilos. As ilhas de Galápagos ficam localizadas no Oceano Pacífico, próximas do Equador. Diferentemente dos oceanos gelados onde vivem as baleias, a temperatura média da ilha varia de 21ºC a 30ºC durante o ano. De janeiro a junho, a temperatura costuma ir de 21ºC a 27ºC. Já de julho a dezembro, as temperaturas costumam variar de 18ºC a 23ºC, um pouco mais frio do que o primeiro semestre do ano. 

Tartarugas terrestres são longevas?
Com registro comprovado de vida de 188 anos, a tartaruga rajada também é longeva. Segundo o professor da veterinária da UFMG Leonardo Lara, há ainda relatos a partir de observação empírica de uma outra tartaruga rajada que teria atingido 256 anos, mas sem comprovação científica. “Ela é uma tartaruga grande, terrestre e ela é bastante encontrada em zoológicos”, explica. A idade das tartarugas é geralmente calculada com uma marcação. “No projeto TAMAR, do Ibama, essas marcações já ocorrem há mais de 30 anos”, explica. Entretanto, o professor critica, dizendo que apesar do belo trabalho do projeto Tamar, o sistema de marcações demorou para começar a acontecer no Brasil.

<a data-cke-saved-href="http://noticias.terra.com.br/educacao/infograficos/voce-sabia-raios/" href="http://noticias.terra.com.br/educacao/infograficos/voce-sabia-raios/">É mais fácil ser atingido por um raio ou ganhar na Mega-Sena?</a>

Qual o peixe que vive mais?
Entre os peixes, as carpas têm o maior tempo de vida registrado. “Temos o registro de uma delas com o tempo de vida de 225 anos. Claro, que são carpas mais selecionadas”, explica o professor da veterinária da UFMG Leonardo Lara. Elas são peixes de água doce, com uma alimentação em geral herbívora, mas, na verdade, elas ingerem tudo que encontram na água, principalmente plantas aquáticas e alguns crustáceos. 

O professor conta uma curiosidade: mil anos antes de Cristo já tinham carpas domesticadas no Japão. “A carpa foi o primeiro animal domesticado de que se tem relato, principalmente nos tanques, lagos e jardins dos antigos imperadores japoneses”, comenta.

Quais são as aves que vivem mais?
Entre as aves brasileiras, os papagaios têm uma expectativa de vida de aproximadamente 80 anos. “Existem especies de papagaios no Brasil inteiro, desde Amazônia, região do Pantanal, Pampas, Caatinga e Cerrado sendo o papagaio verdadeiro ou Amazona aestiva o mais comum”, explica o professor da faculdade de veterinária da UFMG Leonardo Lara. Os papagaios comem sementes, frutas, frutos de palmeiras, com preferência para o buriti, licuri e macaúba. Fora do Brasil, um dos pássaros que são conhecidos por sua inteligência e tem grande expectativa de vida são os corvos, com 70 anos de vida, aproximadamente. Como exemplo de inteligência, ele cita que os espantalhos costumam afastar passarinhos das plantações, mas os corvos não se assustam com a “feiura” pelo espantalho. O corvo é onívoro, come bastante grãos, folhas, frutas, insetos em, às vezes, alguns pequenos animais, como ratinhos.
As águias, grous, garças reais, pelicanos e os cisnes também vivem muito, aproximadamente 50 anos. No Brasil, tem a águia harpia. “Ela come araras, macacos, bichos preguiça, e quati”, diz. Ela é encontrada geralmente na região Amazônica e na Região do Pantanal também. O professor destaca que as harpias são águias de mata, e elas vão preferir pegar os animais que estão nas copas das árvores.

As baleias são os mamíferos mais longevos?
Sim, especificamente as Baleias da Groenlândia (Balaena mysticetus), que vivem em média 210 anos. Elas podem ficar no mundo inteiro, sair de um oceano para outro oceano, mas, geralmente, elas habitam ao redor do mar do Groenlândia. Diferentemente dos outros animais, por se tratar de um mamífero, o seu metabolismo não baixa porque ela está no frio. “A temperatura da baleia da Groenlândia é próxima da do ser humano”, explica o professor da veterinária da UFMG Leonardo Lara. 

Sua alimentação está baseada, geralmente, em plâncton e pequenos peixes, mas principalmente crustáceos. Quando pequenas, comem pequenos crustáceos chamados de copépodes e, quando adultas, consomem bastante o crustáceo krill, assim como as outras baleias. Essas baleias possuem outras peculiaridades, como quebrar placas de gelo de mais de 30 centímetros de espessura para respirar no mar gelado. Além disso, podem medir até 18 metros de comprimento e pesar 100 toneladas. Em média, elas demoram 20 anos para atingir a maturidade sexual e sua gestação varia de 12 a 16 meses, podendo parir mais de um filhote por gestação. Estes filhotes, por sua vez, crescem aproximadamente 1,5cm por dia. “Seus filhotes desmamam dos 9 aos 15 meses e tem partos a cada 3 ou 4 anos”, comenta. 

As Baleias da Groenlândia (Balaena mysticetus) são os mamíferos mais longevos
Foto: Ansgar Walk / Wikimedia

Quanto tempo vive um elefante?
Os elefantes indianos vivem, em média, 80 anos, segundo o professor da veterinária da UFMG Leonardo Lara. Por lá, os animais são bastante utilizados para trabalho, como meio de transporte e também para carregar objetos. Sua alimentação é baseada em capim e folhas de árvores. Os elefantes indianos atingem a maturidade sexual aos 14 anos, com um período de gestação entre 18 e 22 meses. Da gestação, nasce apenas um filhote. Eles podem atingir 5,50 metros de comprimento, mais de três metros de altura e pesar mais de quatro toneladas. 
O professor faz uma comparação. “Os elefantes estão para os indianos como os cavalos estão para nós (ocidentais) e os camelos para os árabes”, resume. A sociedade dos elefantes é matriarcal, ou seja, sempre tem uma fêmea que lidera o grupo. “O grupo acompanha essa fêmea, atrás de comida ou de qualquer outra coisa”, explica o professor. Geralmente, os filhotes de elefantes nascem e ficam dependentes da figura materna e, durante sua vida, costumam acompanhar o grupo. Quando a morte se aproxima, geralmente os elefantes se afastam, caminham, deitam e morrem.

Até que idade pode viver um ser humano?
Existem vários relatos de homens que morreram com mais de 100 anos de idade - o maior recorde registrado pelo Los Angeles Gerontology Research Group pertence à senhora Maud Farris-Luse, que morreu em 18 de março de 2013 com 115 anos e 56 dias.

O professor da veterinária da UFMG Leonardo Lara destaca que hoje vivemos mais que a grande maioria dos mamíferos, inclusive os elefantes. Na época em que Jesus viveu, observa o professor, a média de vida era de próxima de 40 anos. Segundo relatos, a expectativa de vida do ser humano reduziu drasticamente após o dilúvio, chegando a 30 anos por volta de 1600, na Europa. “Mas hoje já nos aproximamos de 100 anos, novamente”. Segundo dados de dezembro de 2012 da ONU, a expectativa de vida do homem brasileiro ao nascer é de 71 anos, e 77 anos para a mulher. Já para os que já sobrevivem até os 60 anos, a expectativa de vida para as mulheres é que vivam 23 anos mais, ou seja, até 83. Já para os homens de 60 anos,espera-se que vivam mais 20 anos, chegando aos 80.

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra