Você Sabia?

publicidade
14 de novembro de 2010 • 09h50

É possível viver sem estômago?

Uma pessoa que tiver seu estômago retirado totalmente poderá, sim, viver normalmente
Foto: Getty Images

O estômago é o responsável pela digestão dos alimentos consumidos pelo ser humano. Ele, através de seus movimentos, mistura e transforma os alimentos em pequenas partículas que irão facilitar a digestão, com a ação do ácido clorídrico e das enzimas digestivas, como a pepsina. Porém, se alguém sofrer com neoplasia - formação de tumores que causam câncer de estômago -, por exemplo, poderá retirar o órgão e viver normalmente?

Sim, poderá, nos conta o Dr. Evandro Resque Júnior, gastroenterologista clínico. "A cirurgia para a retirada total do estômago se chama gastrectomia, que pode ser parcial ou total. E o paciente viverá, só que com alguns cuidados. A gastrectomia total é realizada principalmente nos casos de neoplasia maligna, e as parciais nos casos de neoplasias menores e de cirurgias bariátricas - redução do estômago -", explica o Dr. Resque.

Mesmo sem o estômago, a pessoa que o teve retirado continuará a digerir alimentos, mas com mais dificuldades e com mais responsabilidades e cuidados. O esôfago passa a ser ligado ao intestino, com a comida seguindo direto. "Sem a passagem pelo estômago, a digestão se processará no intestino delgado, mas sem a ação do ácido clorídrico, então os alimentos não chegarão em condições de serem bem absorvidos no jejuno e no íleo - partes do intestino delgado-", diz Resque. "Além disso, nutrientes importantes como a vitamina B não serão bem absorvidos pelo organismo", completa.

A necessidade de cuidados especiais passa a ser alta. "Os maiores cuidados serão com os nutrientes que deixarão de ser bem absorvidos", explica Resque. "Exames laboratoriais e dietas muito bem elaboradas por nutricionistas experientes são as medidas que ajudam a melhorar a qualidade de vida dos pacientes", nos conta o doutor.

Redação Terra