Vestibular

publicidade
27 de dezembro de 2011 • 14h56

Ritmo e gramática: aprenda figuras de linguagem ouvindo música

Utilizar letras de canções no estudo do português pode ser uma boa maneira para entender e memorizar alguns conteúdos, como as figuras de linguagem. Por isso, o Terra preparou dicas que podem facilitar o estudo, listando figuras de linguagem em letras de música.

Segundo o professor Edir Alonso, do curso pré-vestibular Universitário e do Colégio João Paulo I, de Porto Alegre, a relação com a música no estudo da língua facilita o entendimento das regras e aproxima o conteúdo do cotidiano do estudante: "Esse aspecto faz com que o conhecimento do aluno ganhe significação, já que as figuras de linguagem estão presentes na letra de uma canção, que faz parte do seu dia a dia".

A professora Cristiane Bastos, do Cursinho da Poli, de São Paulo, afirma que a relação entre a gramática e as músicas pode ser muito rica, já que diversos artistas, em vários gêneros musicais, trabalham com a questão das variantes da língua em suas letras. "Determinadas músicas buscam abarcar essas diferenças linguísticas, essas variantes. Isso já está muito difundido, até bandas de rock brincam com a questão da linguagem coloquial, ou até mesmo em funks a gente nota isso", diz.

Confira, a seguir, quatro exemplos de figuras de linguagem e como elas podem ser encontradas nas letras de músicas de diversos artistas brasileiros.

Metáfora
Figura de linguagem em que se emprega um sentido incomum para uma palavra a partir de uma relação de semelhança entre dois termos. Segundo o Professor Edir Alonso, podemos encontrar um exemplo de metáfora em uma música de Gilberto Gil.

"Na própria prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), já tivemos uma questão envolvendo Gilberto Gil, com uma canção chamada 'Metáfora', que é um ótimo exemplo para trabalhar essa figura de linguagem. A letra fala "Uma lata existe para conter algo. Mas quando o poeta diz: 'Lata', pode estar querendo dizer o incontível. Deixe a meta do poeta, não discuta. Deixe a sua meta fora da disputa, deixe-a simplesmente metáfora". Faz uma referência para o fato de que a metáfora remete a fatos que vão além do que está sendo dito, e cabe ao leitor buscar vários significados, mas nunca apenas um único sentido", analisa Alonso.

Ouça aqui a música Metáfora.

Paradoxo
"No paradoxo, temos a concomitância de significados excludentes", explica o professor. A música "Monte Castelo", do grupo Legião Urbana, é um bom exemplo. "O poema de Luís de Camões incorporado à música 'Monte Castelo' diz 'o amor é um contentamento descontente, é um cuidar que se ganha sem perder'. Ela traz elementos opostos, ao falar desse 'contentamento descontente' e que dói ao mesmo tempo em que não se sente. Dessa forma, temos a figura do paradoxo", diz Alonso.

Ouça aqui a música Monte Castelo.

Antítese
Figura de linguagem na qual ocorre a exposição de ideias opostas, na antítese podemos perceber a aproximação de palavras ou expressões de sentidos contrários. O contraste que ocorre serve, principalmente, para enfatizar os conceitos envolvidos, o que não se conseguiria se eles estivessem isolados.

Muitas vezes, ela pode ser confundida com o paradoxo, pela similaridade entre as duas figuras de linguagem. Edir Alonso explica a diferença: "Um bom exemplo de antítese é a música 'Certas Coisas', do Lulu Santos, que diz: 'Não haveria o som se não fosse o silêncio, e não haveria luz se não fosse a escuridão'. Assim como o paradoxo, a antítese traz o sentido da oposição, mas a antítese é apenas a utilização dos contrastes, dos opostos". Já no paradoxo, esse uso é feito de uma maneira mais direta, com um termo necessariamente contradizendo o outro.

Ouça aqui a música Certas Coisas.

Metonímia
"Na música 'Meteoro', cantada por Luan Santana, temos o seguinte trecho: 'Te dei o sol, te dei o mar, pra ganhar seu coração'. É claro que não tem como fazer isso, a não ser em sentido denotativo. Assim, nós chegamos na metonímia", exemplifica Alonso.

Figura de linguagem muito utilizada na literatura e em letras de música, a metonímia ocorre quando um termo substitui outro, havendo entre eles uma relação de sentido. "Se a gente pensar no sentido denotativo, 'te dei o sol, te dei o mar, pra ganhar seu coração' pode ser entendido como que ele fez até o impossível para ganhar o órgão vital da pessoa, mas na verdade a ideia seria usar a conotação, na qual a palavra corresponde à conquistar o amor da pessoa, o que mostra a presença da metonímia", analisa o professor.

Ouça aqui a música Meteoro.

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra