ITA: candidatos estudam 14 horas por dia por vaga em cursos

10 dez 2012
14h15
atualizado às 14h38
  • separator
  • comentários

Nas paredes, portas de armário e até perto da cama no quarto que divide com mais sete meninas no Centro de Desenvolvimento de Alunos de Alta Performance (CDAAP) do Sistema Elite de Ensino, no Rio de Janeiro (RJ), Thais de Souza Cabral, 19 anos, espalhou folhas com fórmulas e exercícios que podem ajudá-la a atingir seu grande objetivo: ser aprovada para o curso de Engenharia Aeronáutica no Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA). Mesmo com vaga garantida em outros três concursos militares - incluindo o 2º lugar na Escola de Especialistas da Aeronáutica (EEAR) -, a estudante mantém uma rotina de até 14 horas de estudo por dia, mirando a aprovação no Instituto. O Terra , em parceria com o Sistema COC de Ensino , fará a correção dos testes.

<span style="color: rgb(93, 88, 80); font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; line-height: 14px;">As provas foram aplicadas em 22 cidades brasileiras, incluindo capitais e municípios do interior</span>
As provas foram aplicadas em 22 cidades brasileiras, incluindo capitais e municípios do interior
Foto: Fernando Borges / Terra

Enem ou vestibular: veja como será a seleção nas principais universidades do Brasil

Entre os dias 11 e 14 de dezembro, das 8h às 12h (horário de Brasília), o vestibular do ITA será aplicado em 22 cidades brasileiras, incluindo capitais e municípios do interior. As que mais registraram inscritos foram, nessa ordem, São Paulo, Fortaleza, Rio de Janeiro e São José dos Campos. A maratona começa na terça-feira (11), com física, e segue na quarta (12), com português, inglês e redação; na quinta (13), com matemática; e na sexta (14), com química.

O professor Marcelo Pelisson, coordenador do cursinho Poliedro (que conta com turmas especiais de preparação para o exame), adianta que a prova é feita com questões cujo nível de dificuldade é mais alto até mesmo do que as questões da Fuvest, responsável pelo processo seletivo da Universidade de São Paulo (USP). "É uma prova que contempla todo o assunto do ensino médio e, muitas vezes, algumas coisas além", detalha Pelisson.

Mais do que a dificuldade, o coordenador do vestibular do ITA, Luiz Carlos Rosseto, observa que a concorrência é o principal desafio. Neste ano, 7.285 candidatos - sendo 1.679 mulheres - vão disputar 130 vagas das engenharias Aeronáutica (curso mais concorrido, com 1.955 candidatos), Eletrônica, Mecânica-Aeronáutica, Civil-Aeronáutica, de Computação e Aeroespacial -. As vagas são destinadas a civis, militares e optantes pela carreira militar.

Os testes do ITA são focados na área das exatas. As provas de química, física e matemática têm, cada uma, 20 questões objetivas e 10 dissertativas, formuladas pelos próprios professores da instituição. "Nossas questões não são tão triviais, mas quase todas fazem parte do programa do ensino médio", explica Rosseto. Além disso, o candidato também responde a 20 questões objetivas de português e inglês e elabora uma redação. E é justamente nessa parte que o aluno deve tomar cuidado, alerta Rosseto. "Pelo oitavo ano consecutivo, a maior dificuldade dos alunos é português, especialmente a redação", informa o coordenador. A dica é que os estudantes não esqueçam de revisar o conteúdo da matéria, pois o peso é o mesmo das provas de exatas.

Aprovação no ITA é difícil sem cursinho
Segundo dados levantados pelo próprio ITA, 70% dos candidatos inscritos vêm de escolas particulares, 21% de estaduais, 8% de federais e 1% de municipais. Do total de inscritos, 31% fizeram curso preparatório. "Sem fazer um cursinho para o ITA, é difícil o aluno ser aprovado", admite Pelisson. A estudante Thais é uma das pessoas que investiu no curso para tentar uma vaga pela terceira vez. No CDAAP, ela acorda geralmente às 6h.

Há dias em que as aulas começam às 7h e podem se estender até 21h50 - com intervalo para almoço e pausas durante a tarde. Quando o primeiro período é só à tarde, a partir das 13h30, ela aproveita para revisar conteúdos e fazer provas de concursos anteriores. Os sábados são reservados para um simulado, aplicado pelo próprio cursinho.

A rotina de estudos Fernando Eugênio de Oliveira Xavier, 19 anos, aprovado no último concurso, também foi intensa durante a preparação. Ao mesmo tempo em que cursava o 3º do ensino médio, em 2011, ele frequentou uma turma especial de preparação para o ITA do Sistema Ari de Sá de Ensino, em Fortaleza (CE), mas não ficou entre os classificados.

Para a segunda tentativa, ele chegou a dedicar 13 horas de estudo por dia - de carona com colegas, ele ia para o colégio às 7h30 ou às 9h30, onde permanecia até cerca das 21h. "Voltava para casa só para dormir", relembra. No sábado pela manhã, um simulado ajudava os alunos a medir seu desempenho e detectar em que matérias eles tinham mais dificuldades. O cronograma apertado fez com que Fernando abdicasse de algumas atividades. "Eu sempre pratiquei esportes até o 2º ano (do ensino médio), mas tive que deixar depois que entrei no 3º ano", conta.

Para os atuais candidatos, Fernando diz que a principal dica é treinar a habilidade de administrar o tempo da prova. "É muita questão para pouco tempo", comenta. Responder a provas antigas e cronometrar o tempo pode ajudar o estudante nessa parte. Marcelo Pelisson, do cursinho Poliedro, recomenta ainda que os alunos comecem a responder as perguntas mais fáceis. "É uma prova de velocidade e conhecimento, sempre envolvendo muita teoria e testando a habilidade do aluno em trabalhar com fórmulas", destaca o professor.

Pelo número de questões e o tempo (quatro horas em cada dia), ele calcula que, no caso das provas de matemática, química e física, cada candidato tem seis minutos por questão objetiva e 12 minutos por dissertativa - nestas, é importante que o aluno não se atenha a explicar detalhes que não são necessários e respeite o espaço dedicado à resposta.

A seu favor, o aluno conta com a previsão de que não haja grandes novidades em relação ao estilo de prova - ou seja, é possível se preparar com base nos concursos anteriores. Durante a prova, a orientação do coordenador Rosseto é de que os alunos não levem celular e carreguem consigo lápis ou lapiseira e caneta preta (para preenchimento da folha de respostas). Também é permitido levar uma garrafa de água e algum lanche, como barras de cereal ou chocolate.

Para prestar o concurso, o estudante deve ser brasileiro nato e não ter mais de 23 anos no ano da inscrição (uma pessoa que complete 24 anos em 31 de dezembro de 2012, por exemplo, não pode participar). Os alunos que desejam pleitear uma vaga devem atingir a nota mínima de 40 em todas as provas e média total superior a 50 (os números são calculados sobre 100).

A prova de inglês não entra na média, mas vale como eliminatória, caso o aluno não atinja o mínimo. A novidade deste ano é que, ao contrário dos últimos concursos, o ITA vai liberar as notas de cada aluno, além da relação de classificados. Segundo o cronograma do Instituto, o listão será divulgado em 28 de dezembro, a partir das 10h, e as notas ficarão acessíveis entre 3 de janeiro e 2 de março de 2013.

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade