Educação

publicidade
20 de janeiro de 2011 • 12h48

Veja os erros mais comuns de concordância verbal

Entre as tantas regras do português, muitos estudantes pecam quando o assunto é concordância verbal
Foto: Getty Images
Cartola Agência de Conteúdo
Especial para Terra

Nas redações de vestibular, escrever corretamente e usar a norma culta da língua é essencial para um bom despenho na prova. Entre as tantas regras do português, muitos estudantes pecam quando o assunto é concordância verbal. Por isso, o professor Ricardo Russo, do Objetivo de Florianópolis, aponta os cinco principais erros de concordância.Fique atento para não errar na redação e nas questões de português:

1º) Encontre o sujeito.
Nas provas, sujeito e verbo estarão distantes, para confundir o vestibulando. Portanto, encontre o sujeito na frase antes de resolver a questão.

Exemplo: Eis a manchete do jornal Folha de S. Paulo anunciando o fim da Segunda Grande Guerra. Observe que o sujeito é forças germânicas:

Renderam-se às tropas aliadas as forças germânicas de terra, mar e ar.

2º) Cuidado com o verbo SER.
Fique atento, pois quando houver numeral o verbo concordará com ele.

Exemplo: São três horas.
Podem ser três horas.
São dois de abril.
Daqui até a praia são dois quilômetros.

3º) Concorde com o núcleo do sujeito
Observe, abaixo, que o núcleo do sujeito é a palavra crise, portanto o verbo concorda com ela.

Exemplo: A crise de abastecimento de água e de energia elétrica em Havana, capital de Cuba, ameaça tornar este verão insuportável.(núcleo, crise)

4º) VERBO HAVER ¿ com valor existencial
O verbo haver será sempre impessoal e sem sujeito, mesmo em locuções verbais.

Exemplo: Pode haver problemas graves na nova administração federal.

5º) Partícula SE
Se for verbo transitivo direto, concordará com o consequente. Havendo preposição, sempre o verbo ficará no singular.

Exemplo: Elegeram-se novos deputados.
Propuseram-se acordos definitivos.
Tratava-se de problemas graves.

Redação Terra