vc repórter: com "almoço simbólico", alunos da UFMT protestam em Sinop

27 out 2012
17h51
atualizado em 28/10/2012 às 13h20

Cerca de 40 estudantes se reuniram para protestar, de maneira inusitada, contra o atraso na reforma do Refeitório Universitário (RU) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) na manhã de sexta-feira, 26.

Com panelas vazias, talheres e faixas, os manifestantes organizaram um "almoço simbólico", sem comida, em frente ao RU que funciona de maneira improvisada. Atualmente, a área de refeições ocupa três salas de aula adaptadas.

De acordo com os estudantes, a universidade abriu licitação para que uma reforma no local fosse iniciada, a fim de melhorar as condições de espaço e serviços. No entanto, o trabalho - que deveria ser entregue até o final de 2012 - sequer começou.

Procurada, a assessoria de comunicação da UFMT limitou-se a responder que aguarda um posicionamento da empresa vencedora da licitação, lotada em Belo Horizonte (MG) e que as obras do restaurante serão concluídas em 2013.

A UFMT informa ainda, em seu site oficial, que o restaurante universitário serve normalmente cerca de 2,3 mil refeições por dia, somadas as do almoço e do jantar, com produção de aproximadamente 1,5 tonelada de alimento.

O internauta Bruno Leonardo Mendes, de Sinop (MT), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

Com panelas vazias e talheres, estudantes protestaram contra atraso em obras de refeitório universitário
Com panelas vazias e talheres, estudantes protestaram contra atraso em obras de refeitório universitário
Foto: Bruno Leonardo mendes / vc repórter
vc repórter

compartilhe

publicidade