'Universidade Flutuante' dos EUA chega a Cuba após 9 anos de ausência

9 dez 2013
15h06
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um cruzeiro com 600 estudantes universitários dos Estados Unidos e de outros países atracou nesta segunda-feira em Havana, ávidos por conhecer a ilha, depois que Washington concedeu a eles permissão de viagem após nove anos de proibição, constatou um jornalista da AFP.

"Ainda não acredito que estou aqui, estou muito emocionada. Interesso-me por conhecer tudo sobre Cuba: a cultura, o esporte, seu povo, tudo", declarou à AFP a americana Tessa Kroninjer, de 20 anos, que cursa o terceiro ano de Psicologia na Universidade da Carolina do Norte (sudeste).

Ao chegar ao terminal de cruzeiros do porto de Havana, adornado com bandeiras de Cuba, da União de Jovens Comunistas e da Federação Estudantil Universitária (FEU), os jovens foram recebidos pelo reitor da Universidade de Havana, Gustavo Cubreiro, e por líderes estudantis.

"Estamos muito felizes com este intercâmbio", declarou a jornalistas a presidente da FEU na Universidade de Havana, Laritza Limia, ao destacar que fazia alguns anos que o cruzeiro "Semestre no Mar", impulsionado por 200 centros americanos e também conhecido como "Universidade Flutuante", "não nos visitava".

O barco partiu em agosto de Londres e realiza em Cuba a penúltima escala de seu périplo.

O jornal oficial Granma destacou nesta segunda-feira que entre 1999 e 2004 o barco visitou até 10 vezes Cuba, mas que o intercâmbio estudantil foi interrompido pelas restrições impostas pelo governo de George W. Bush (2001-2009).

A administração de Barack Obama concedeu ao cruzeiro em junho deste ano a licença especial para que os estudantes americanos pudessem viajar à ilha, que não tem relações diplomáticas com os Estados Unidos desde 1961.

Veja também:

Por apoio à CPMF, Guedes vai propor cortar à metade tributos sobre salários
AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade