Troca entre alunos da rede pública e privada rende prêmio a projeto

Iniciativa propõe que estudantes troquem de escola por um dia conheçam realidades diferentes da sua

28 nov 2013
15h30
atualizado em 2/12/2013 às 08h52
  • separator
  • comentários

Dentro da sala de aula climatizada do seu colégio particular, Juliana Reimberg não poderia imaginar que, para outros estudantes, um ventilador de teto era objeto de desejo. A menina do segundo ano do ensino médio do Colégio Bandeirantes entrou em contato com uma realidade diferente da sua na final do Festival Educação, organizado pelo Centro Ruth Cardoso em parceria com outras empresas, em São Paulo.

<p>Os vencedores do Festival Educa&ccedil;&atilde;o, com o projeto Integra Escola</p>
Os vencedores do Festival Educação, com o projeto Integra Escola
Foto: Centro Ruth Cardoso / Divulgação

O projeto vencedor do festival, que dá voz a estudantes e os mobiliza a solucionar problemas da sua comunidade, foi o “Integra Escola”, elaborado no dia da final por sete alunos da Escola Estadual Professor João Silva e duas estudantes do colégio particular Bandeirantes, ambos de São Paulo. A ideia é criar uma plataforma virtual pela qual os estudantes das duas escolas possam preencher um formulário apontando áreas das quais gostariam de conhecer mais na outra escola. A partir daí, as escolas ficariam responsáveis por efetuar as trocas entre os estudantes, que passariam um dia numa escola diferente da sua, para que tenham experiências diversificadas. “Essa é uma maneira da gente dar valor à nossa escola”, resume Juliana.

A menina conta que a ideia surgiu quando percebeu a discrepância entre as infraestruturas das escolas públicas e privadas. No mural abastecido pelos alunos presentes na final do festival, Juliana encontrou um papelzinho em que um dos estudantes tinha sugerido colocar um ventilador no teto da sala de aula. "Enquanto isso, eu estudo em uma escola que tem salas de aula com ar-condicionado”, observa. Antes de irem para a final, todos estudantes participaram de encontros para sugerirem ideias. Segundo Juliana, os momentos foram bastante livres.

Alice Lima, também vencedora do projeto e estudante do terceiro ano do ensino médio do colégio estadual João Silva, conta que, na sua escola, durante os encontros, os estudantes assistiam a vídeos, realizavam dinâmicas e também tiveram liberdade para sugerir ideias, todas registradas em papéis. “Nós queríamos que eles (alunos da rede privada) passassem um dia dentro da nossa escola, para conhecer a nossa realidade, e que a gente passasse um dia na escola deles”, resume.

Depois dos encontros nas escolas, houve uma etapa de cocriação online, na qual os jovens trocaram suas ideias em um grupo no Facebook. No encontro de premiação, os estudantes continuaram a criação em conjunto. Além de Alice, os colegas Camila de Magalhães Lima, Cleiton França Santos, Henrique Mendes dos Santos, Joice Trindade Oliveira Santos, Julyanna Oliveira Souza e Paloma Jurgenfeld também foram vencedores do projeto. Do Colégio Bandeirantes, além de Juliana, a outra vencedora foi a aluna Leila Maciel. Cada um deles ganhou um tablet. Para que o projeto da plataforma virtual seja executado, os alunos contam agora com as direções das suas escolas e com as visitas profissionais e mentorias de organizações parceiras do evento. A parte deles já está feita.

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade