SP: médicos terão que fazer prova para obter registro profissional

Por queda na qualidade do ensino, Cremesp cria prova para médicos

24 jul 2012
12h21
atualizado em 25/7/2012 às 09h12

O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) divulgou durante entrevista coletiva nesta terça-feira, 24 de julho, que a partir deste ano, para obter o registro profissional, egressos dos cursos de medicina terão de apresentar declaração de realização do Exame do Cremesp. No entanto, o registro não será condicionado ao resultado, mas à participação na prova.

De acordo com o Cremesp, a iniciativa de tornar obrigatória a participação em um exame de final de curso foi tomada em decorrência da queda acentuada na qualidade do ensino médico. Exames opcionais realizados pelo conselho nos últimos sete anos revelaram que quase metade dos graduandos saem das escolas despreparados, sem as mínimas condições de exercer a medicina.

Desde 2005, o Cremesp realiza uma prova opcional para as escolas médicas paulistas. Quase metade dos estudantes, prestes a entrar no mercado de trabalho, se revelou incapaz de exercer a profissão. Dos 4.821 estudantes que participaram do Exame do Cremesp entre 2005 e 2011, 46,7% foram reprovados. "Na soma dos vários anos, pouco mais de 15% dos formandos fizeram o exame, número representativo, porém insuficiente, para uma avaliação mais aprofundada", avalia o conselho.

Segundo o Cremesp, a obrigatoriedade do exame tem como objetivo avançar o debate sobre a criação do Exame Nacional de Habilitação como requisito para o exercício legal da medicina no Brasil, a exemplo do Exame de Ordem da OAB, que avalia os estudantes de direito e a aprovação é requisito necessário para a inscrição como advogado

Segundo dados do conselho, em dez anos aumentou em 302% a quantidade de processos ético-profissionais, relacionados a má prática, erro médico ou infrações diversas ao Código de Ética Médica, em andamento a partir de denúncias contra médicos. O número passou 1.022 processos em 2001 para 3.089 processos em 2011. No mesmo período, os médicos que foram julgadosculpados e receberam uma das penalidades previstas em lei passaramde 246, em 2001, para 444 em 2011, aumento de 180%.

O exame deste ano está previsto para dia 11 de novembro e contará com o mesmo índice de dificuldade, em nove áreas básicas do conhecimento médico. A Resolução nº 239 vale para todos os formandos que ainda não possuem o registro no conselho.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade