publicidade
04 de dezembro de 2009 • 16h39 • atualizado às 17h49

Sorteio vai selecionar alunos para colégio militar em Goiás

A procura por matrícula atraiu pais de 8.295 crianças e adolescentes
Foto: Márcio Leijoto / Especial para Terra
 
Márcio Leijoto
Direto de Goiânia

Um sorteio vai definir quem vai entrar em cada uma das 1.376 vagas das seis unidades do Colégio da Polícia Militar de Goiás (CPMG). A procura por matrícula atraiu pais de 8.295 crianças e adolescentes interessados em estudar nestas escolas que, apesar de públicas, conseguem se destacar em avaliações como o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) e na Provinha Brasil (que avalia o ensino básico). Os CPMGs oferecem educação do 6º ano do ensino fundamental até o 3º do ensino médio.

As inscrições para o sorteio se encerraram nesta semana. Cada pai preencheu uma ficha, cuja terceira via foi colocada em uma urna. Haverá uma reunião no ginásio de esportes de cada unidade, quando será então feito o sorteio. A escolha será acompanhada pela direção de cada CPMG, pais e representantes da sociedade civil.

O diretor de ensino e instrução da Polícia Militar de Goiás, tenente-coronel Alexandre Freitas Elias, disse que a escolha pelo sorteio como forma de seleção dos próximos alunos foi feita após críticas de que os CPMG se saem bem nas avaliações apenas porque escolhe os alunos por meio de seleção, elitizando o ensino público.

"O sorteio é uma forma mais democrática de escolha. E vamos fazer questão de exigir que os alunos se saiam no mínimo igual às avaliações anteriores. Dizer que as notas boas são só porque selecionamos antes quem entra é menosprezar toda a nossa forma de ensinar", reclamou.

Criado há 11 anos como uma unidade de ensino dentro da Academia da PM-GO exclusiva para dependentes de policiais militares, logo as CPMG foram atraindo a atenção de outros pais. Em 2002, foi transferida para uma unidade no centro de Goiânia, aberta para não-militares. Atualmente, são três unidades em Goiânia, uma em Rio Verde, uma em Itumbiara e uma em Anápolis.

"Meu filho tem 15 anos e estuda aqui desde 2005. Inscrevi ele e minha filha, de 10 anos, que estava em uma escola municipal. Aqui é excelente. Depois que ele entrou, melhorou muito não só nas notas como no comportamento", disse a doméstica Genilda Maria Rodrigues, 42 anos. Ela é de Senador Canedo (GO), na região metropolitana, mas diz que vale a pena o longo percurso para colocar os filhos na CPMG do Jardim Goiás, em Goiânia. "Faço isso com muito prazer."

Os três filhos do gráfico Lázaro Eterno, 37 anos, estudam no CPMG do Jardim Goiás. O mais velho tem 16 anos, e os outros, gêmeos, têm 12 anos. Ele torce para ter muita sorte e ter os três novamente na unidade em 2010. "Aqui é diferente das outras escolas públicas, tem mais disciplina, mais rigor. Meus filhos melhoraram muito e são muito motivados a estudar aqui", disse.

Para o diretor de ensino da PM-GO, as CPMGs se tornaram referência no ensino público do Estado por causa da disciplina militar implantada. "Conquistamos credibilidade pelo trabalho, pelo resultado dos vestibulares e dos exames de avaliação das escolas porque temos aqui uma disciplina bastante clara. Isso é fundamental. Os professores trabalham com mais prazer, mais dispostos, porque sabem que aqui vão conseguir ensinar o que querem."

Não é a primeira vez que a escolha é feita por sorteio. Em 2005 também foi assim. Os CPMG apesar de públicos cobram uma taxa de matrícula de R$ 20 e mensalidades entre R$ 45 e R$ 80, em forma de contribuições voluntárias. Os pais não são obrigados a pagar, garante a direção dos CPMGs, que são geridos pela Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp).

Redação Terra