PUBLICIDADE

Educação

Projeto permite que alunos criem mapas sensoriais de cidades

15 jun 2011 10h49
| atualizado às 11h44
Publicidade

O projeto Cartografias de Sentidos, um dos destaques do Seminário Fundação Telefônica de Inovação Educativa que ocorre hoje em São Paulo, nasceu em Minas Gerais com o objetivo de estimular os estudantes a percorrem e registrarem os diversos aspectos de sua cidade. Os mapas sensoriais são constituídos por registros fotográficos, audiovisuais, sonoros e textuais, todos coletados e produzidos por alunos da rede pública de ensino.

Crianças de rua recebem alimento e educação em uma escola mantida pelo Programa Mundial de Alimentos e por uma agência de ajuda humanitária do Afeganistão; sem espaço para todos, alguns alunos sentam no chão para acompanhar os ensinamentos
Crianças de rua recebem alimento e educação em uma escola mantida pelo Programa Mundial de Alimentos e por uma agência de ajuda humanitária do Afeganistão; sem espaço para todos, alguns alunos sentam no chão para acompanhar os ensinamentos
Foto: AP

A iniciativa foi desenvolvida em escolas públicas da rede municipal de Belo Horizonte, envolvendo alunos e professores do ensino fundamental e médio. Para realizá-la, o Centro de Convergência de Novas Mídias (CCNM) da Universidade Federal de Minas Gerais conta com apoio de alunos e professores de universidades e faculdades locais, que podem ser considerados também público do projeto, na medida em que são formados para lidar com as tecnologias e seus potenciais.

Em Belo Horizonte, um dos pontos altos do projeto foi a Cidade Cultural Virtual, um portal de internet onde estavam disponíveis os mapeamentos culturais das comunidades, com recursos de som, imagem e vídeo.

Conforme Regina Helena Alves, coordenadora da iniciativa, os alunos desenham em papel, em tablets e com o mouse, além de mapear sons. Para ela, os jovens já não estão mais tão interessados em linguagem audiovisual, mas em mídias de convergência, que permitem relacionar sentidos e linguagens diferentes, como é o caso dos mapas sensoriais. Para Regina, a experiência estimula a percepção, o reconhecimento e a apropriação crítica dos espaços.

Cartografias de Sentidos já passou por Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Amazonas, Bahia e Ceará, além de Portugal e Espanha. Regina conta que também existem diálogos e aberto com a França e a China.

A pesquisa
No estudo, realizado em âmbito nacional, foram identificados 64 projetos inicialmente considerados relevantes. Destes, 26 foram caracterizados como realmente inovadores, de acordo com os critérios determinados pela pesquisa, que envolveram aspectos da qualidade na educação, da integração das TIC e das tendências tecnológicas, como entornos colaborativos, meios sociais, conteúdos abertos e tecnologias móveis, entre outros.

Ao final, quatro projetos foram considerados de vanguarda e sofreram uma análise aprofundada, sendo objeto de discussão durante o seminário, juntamente a outras quatro experiências. São eles: Cartografias de Sentidos nas Escolas, realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte; Fractal Multimídia: objetos de aprendizagem, do Colégio Estadual Embaixador José Bonifácio, de Petrópolis, no Rio de Janeiro; Experimentação remota como suporte a ambientes de ensino-aprendizagem, desenvolvido em Araranguá, pela Universidade Federal de Santa Catarina; e Olimpíadas de Jogos Educacionais, da empresa Joy Street em parceria com o Centro de Estudos de Sistemas Avançados do Recife e pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco.

Ações futuras
A Fundação Telefônica e OEI firmaram acordo, com duração de 10 anos, comprometendo-se a estudar, assessorar e promover práticas educativas voltadas para a melhoria da educação na América Latina. No médio prazo, a ideia é disseminar os resultados da pesquisa como forma de fomento de conhecimento nessa temática, a fim de beneficiar outros atores das áreas sociais e da educação.

Fonte: Terra
Publicidade