Professores de universidades federais podem entrar em greve

16 mai 2012
11h19
atualizado às 11h29

A partir desta quinta-feira, as aulas podem ser suspensas em diversas universidades federais do País. Instituições ligadas ao Andes-SN (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior) realizam assembleias até amanhã para decidir se vão ou não aderir à paralisação. Entre as reivindicações, estão a reestruturação da carreira da categoria e as condições precárias de trabalho, atribuídas à falta de estrutura nas universidades.

A assembleia dos professores em greve no Piauí terminou em tumulto e agressão à presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação,  Odeni de Jesus Silva
A assembleia dos professores em greve no Piauí terminou em tumulto e agressão à presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, Odeni de Jesus Silva
Foto: Yala Sena / Especial para Terra

As universidades federais de Campina Grande (PB), Pará, Paraná, Mato Grosso, Alagoas e algumas instituições de Minas Gerais já confirmaram a paralisação. Ainda não há números oficiais de quantas universidades vão aderir ao movimento, mas a previsão é de que mais de 20 instituições entrem em greve.

Para amanhã está prevista a formação de um Comando Nacional de Greve. No Brasil, são 64 seções sindicais de 59 universidades federais ligadas ao Andes.

Terra

compartilhe

publicidade
publicidade