Educação

publicidade
24 de agosto de 2013 • 16h04 • atualizado às 17h04

Primeiros médicos cubanos contratados pelo governo já estão no Brasil

Chegada dos primeiros médicos cubanos no Aeroporto Internacional de Recife, em Pernambuco
Foto: Luiz Fabiano / Futura Press
 

Os primeiros médicos cubanos contratados pelo governo federal para atender em áreas rurais e isoladas já estão no Brasil. O grupo desembarcou às 14h28 deste sábado no Aeroporto Internacional do Recife em escala de voo que segue para Brasília. 

INFOGRÁFICO: REVALIDAÇÃO DO DIPLOMA MÉDICO

Conheça a história de médicos brasileiros que se graduaram fora do País e por que é necessário revalidar o diploma para poder trabalhar no Brasil

Trinta formados em Cuba desembarcaram no Recife e outros 176 seguem para Brasília. Eles vieram em um voo fretados pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e pelo governo cubano. Durante este final de semana, está prevista a chegada de 400 médicos da ilha caribenha.

Os profissionais da saúde foram recepcionados pelo Recepcionados pelo secretário de gestão do trabalho e pela educação do Ministério da Saúde, Mozart Sales, e seguiram para alojamentos do Exército. A partir da segunda-feira, eles passam por um treinamento de três semanas na Universidade Federal de Pernambuco.

Uma nota do Ministério de Saúde Pública de Cuba (Minsap), divulgada hoje informa que essa entidade assinou um convênio com a Organização Pan-americana da Saúde (OPS) "enquadrado nos princípios de cooperação Sul-Sul" para prestar serviços de atendimento básico de saúde no Brasil. "Mediante este convênio chegarão ao dito país neste fim de semana 400 médicos, que fazem parte de um contingente de 4 mil profissionais que chegarão ao Brasil até o final do 2013", disse a nota, datada da sexta-feira e publicada no jornal oficial "Granma".

O trabalho dos cubanos no Brasil "seguirá o modelo de cooperação internacional" que o ministério mantém atualmente em 58 países de vários continentes, acrescentou o comunicado. No Brasil, o Ministério Público anunciou na sexta-feira que abrirá um processo preliminar para analisar os contratos e as condições de trabalho dos médicos cubanos, e advertiu que em caso de uma possível irregularidade poderá recorrer nos tribunais.

ENTENDA O 'MAIS MÉDICOS'
- Profissionais receberão bolsa de R$ 10 mil, mais ajuda de custo, e farão especialização em atenção básica durante os três anos do programa.
- As vagas serão oferecidas prioritariamente a médicos brasileiros, interessados em atuar nas regiões onde faltam profissionais.
- No caso do não preenchimento de todas as vagas, o Brasil aceitará candidaturas de estrangeiros. Eles não precisarão passar pela prova de revalidação do diploma
- O médico estrangeiro que vier ao Brasil deverá atuar na região indicada previamente pelo governo federal, seguindo a demanda dos municípios.
- Criação de 11,5 mil novas vagas de medicina em universidades federais e 12 mil de residência em todo o País, além da inclusão de um ciclo na residência em que os profissionais atuarão no Sistema Único de Saúde (SUS).
 

Com informações da EFE. 

 

Terra