PM prende 2 suspeitos de fraudar vestibular de medicina em SP

A polícia acredita que o dois homens presos sejam membros de uma quadrilha especializada em fraudar seleções em São Paulo e Minas Gerais

20 mai 2013
12h23
atualizado às 12h23
  • separator
  • 0
  • comentários

Dois homens foram presos em flagrante na noite de domingo quando tentavam passar respostas de provas do vestibular para o curso de medicina de uma faculdade particular de São José do Rio Preto, a 440 km de São Paulo. Com a dupla, a polícia apreendeu, além de equipamentos de comunicação, um gabarito das provas e uma lista de instituições de ensino de Minas Gerais e São Paulo, o que levou os investigadores a acreditar que se trata de integrantes de uma quadrilha especializada em fraudar seleções nesses dois Estados.

A PM surpreendeu Elzo Souza Barbosa, 27 anos, e Eder Lucas dos Santos, 29 anos, dentro de um automóvel estacionado num terreno próximo dos fundos da faculdade Faceres, onde as provas eram realizadas. "O que chamou nossa atenção foi que eles estavam usando uma antena de rádio amador e o fato de a placa do veículo ser de outro Estado (Belo Horizonte, MG). Quando eles estavam sendo revistados, tiveram de parar com as ligações nos telefones celulares, que em seguida começaram a receber mensagens pedindo o resultado das provas do vestibular", explicou o sargento João dos Santos, que atendeu a ocorrência.

No carro os PMs encontraram, além dos celulares, rádios-transmissores, pontos de comunicação, sete cartões de crédito American Express e folhas de cheques. Mas o que chamou mais a atenção foi um gabarito de uma das provas, preenchido com caneta esferográfica azul e também algumas respostas de questões e diversos números de telefones anotados em bilhetes. A polícia também apreendeu uma carteirinha de estudante de Barbosa como sendo aluno do curso de medicina das Faculdades Integradas Pítagoras, de Montes Claros (MG).

Os dois tentaram negaram que estavam fraudando vestibular, mas na delegacia confessaram que estavam sendo pagos por candidatos para passar os resultados das provas. Segundo eles, Eder Lucas dos Santos prestou o vestibular e passaria as respostas das provas para Barbosa, que transmitiria o resultado para os candidatos. Os dois foram presos em flagrante e a polícia suspeita de que eles façam parte de uma quadrilha especializada em fraudar vestibulares também em outras regiões do País. Segundo o delegado Hélio Fernandes dos Reis, que atendeu a ocorrência, os dois foram presos em flagrante por fraude em concursos públicos.

A direção da faculdade disse que, apesar da ocorrência, o resultado do vestibular vai ser mantido porque a dupla não teria conseguido atingir seus objetivos. Segundo o diretor da faculdade, Adalberto Miranda Distassi, os dois acusados foram presos pela polícia antes que pudessem passar os resultados da prova feita por Cleber Santos. "Ele saiu às 18h30 e logo em seguida os dois foram presos pela polícia, não houve tempo", disse Distassi. A prova acontecia até as 19h e os candidatos só podiam sair após as 18h.

A Faceres disse ainda que coloca em funcionamento bloqueadores de celulares e detectores de metal e não permite que os candidatos saiam com os cadernos de respostas. Além disso, o vestibular contou com seis provas com questões diferenciadas e respostas diferentes em cada uma delas e, portanto, não houve condições de a dupla obter todos os seis gabaritos. "Porém, agora teremos de instalar bloqueadores para rádios porque eles estavam com pontos de rádios", disse Distassi. Segundo ele, 1.084 candidatos prestaram as provas para 40 vagas de medicina, que realizou o terceiro vestibular para o curso.

Fonte: Especial para Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade