Nobel israelense é 1ª a ganhar bolsa para pesquisar no Brasil

17 ago 2011
19h41

A cientista israelense Ada Yonath, Prêmio Nobel de Química em 2009, será a primeira cientista de excelência a pesquisar no Brasil por meio do Programa Ciência Sem Fronteiras. Ada também será a embaixadora do programa em Israel. O anúncio foi feito nesta quarta-feira pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) Aloizio Mercadante.

Veja as melhores universidades do mundo para onde o governo brasileiro mandará estudantes

Ada Yonath tornou-se reconhecida por pesquisas desenvolvidas sobre a estrutura e a função do ribossomo. Ela fará pesquisas no Brasil nos próximos três anos. Nesse período estão previstos intervalos em que a cientista residirá no país, em Campinas (SP), onde desenvolverá pesquisas para o Laboratório Nacional de Luz Síncroton, vinculado ao Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM/MCTI).

Segundo Ada, esta será a primeira experiência em que desenvolve pesquisas em outro país. "Minha primeira experiência será no Brasil e acho que será muito bom. Será tranquilo também morar aqui por uns tempos", disse.

A respeito dos incentivos para a pesquisa, ela acrescentou que o mais importante é a paixão que tem pelo trabalho e, consequentemente, pela ciência.

O ministro afirmou na ocasião que 360 pesquisadores de alto nível do exterior terão bolsas do Ciência Sem Fronteiras até 2014. "Queremos atrair pesquisadores de ponta para que façam estudos em temas de nosso interesse. Além disso, por meio do programa queremos repatriar nossos cientistas que estão lá fora (no exterior)", destacou.

Ciência Sem Fronteiras
O Programa Ciência Sem Fronteiras, lançado pelo MCTI e pelo Ministério da Educação (MEC), disponibilizará 75 mil bolsas de estudo, em quatro anos, para promover o intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior para manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação.

Fonte: Terra
publicidade