MP denuncia 72 alunos da USP por formação de quadrilha

6 fev 2013
00h40
atualizado às 14h40
  • separator
  • 0
  • comentários

O Ministério Público (MP) denunciou nessa terça-feira 72 alunos da Universidade de São Paulo (USP) pela ocupação da reitoria da instituição no final de 2011. Se a denúncia for aceita, os estudantes serão processados por formação de quadrilha, danos ao patrimônio público, pichação e descumprimento de ordem judicial.

De acordo com a denúncia do MP, as provas para processar os 72 alunos foram encontradas dentro do prédio da reitoria: quatro litros de gasolina, seis caixas de rojões e dois isqueiros, além de garrafas de vidro vazias, materiais que poderiam ser usados como bomba caseira, segundo a promotoria.

A promotora Eliana Passarelli argumentou que ficou comprovado diversos danos causados a estrutura da reitoria após a ocupação, como depredação de móveis e equipamentos eletrônicos e pichação de paredes e vidraças. "os denunciados quedaram-se inertes e concordaram entre si com os fatos, sem sequer cogitarem a possibilidade de intervenção para fazer cessar os aludidos atos", disse Eliana Passarelli. A denúncia foi encaminhada ao Fórum de Pinheiros, na capital paulista.

O advogado que defende os alunos disse ao SBT Brasil que a acusação é um exagero. De acordo com Vandré Paladini Ferreira, trata-se de mais uma tentativa do Estado de criminalizar um movimento social que luta por seus direitos.

Ocupação da reitoria

No dia 2 de novembro de 2011, centenas de estudantes ocuparam o prédio da reitoria da USP para protestar contra a presença da PM no campus. Seis dias depois, o batalhão de Choque da PM cumpriu decisão judicial de reintegração de posse do prédio e mais de 70 estudantes foram presos.

No final de 2012, a comissão formada pela universidade para investigar o caso determinou a suspensão dos envolvidos por um prazo máximo de 15 dias como forma de punição.

 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade