Ministro inaugura prédio com escada escorada na UFRGS

11 jun 2014
16h53
atualizado às 17h50
  • separator
  • comentários

A situação estrutural de um prédio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que passou funcionar desde o início do semestre, tem assustado os alunos do campus central, em Porto Alegre. Isso porque escoras foram colocadas nas escadas para sustentar a estrutura do local de forma improvisada. Nesta semana a madeira foi pintada de branco para disfarçar a ação paliativa, uma vez que nesta quarta-feira, o ministro da Educação Henrique Paim inaugurou as instalações.

Escoras são utilizadas para sustentar uma escada em um prédio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que funciona desde o início do semestre
Escoras são utilizadas para sustentar uma escada em um prédio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que funciona desde o início do semestre
Foto: Daniel Favero / Terra

A denúncia foi feita por alunos e professores que trabalham no prédio localizado na avenida Sarmento Leite. Segundo os estudantes, desde a inauguração o prédio tem apresentado problemas com rachaduras e trincas, mas na semana passada a situação se complicou no andar térreo e no primeiro piso e foi necessária a colocação das escoras de madeira, sem que os funcionários que trabalham embaixo da escada fossem removidos.

“Escoraram faz uma semana, mas não falaram nada para os alunos. É um prédio novo, acho que foi feito de forma errada”, diz o estudante de Engenharia de Energia Rafael Possebon, 20 anos, que relata medo ao passar pelo local.

As escoras foram pintadas de branco para disfarçar a ação paliativa, já que, nesta quarta-feira, o ministro da Educação, Henrique Paim, inaugurou as instalações
As escoras foram pintadas de branco para disfarçar a ação paliativa, já que, nesta quarta-feira, o ministro da Educação, Henrique Paim, inaugurou as instalações
Foto: Daniel Favero / Terra

Os funcionários que trabalham na recepção, bem embaixo da escada escorada, também relatam medo de trabalhar, e reclamam de novas rachaduras que surgem a cada dia. “Eles vão escorar ainda os outros andares, têm várias rachaduras nas escadas, e eles ainda pintaram de branco, o que quer dizer que o provisório vai ser tornar permanente”, disse sem se identificar.

As fotos da situação anterior a pintura das escoras foi divulgada no Facebook pelos alunos do Centro de Estudantes Universitários de Engenharia (Ceue). “Chegamos ao ponto de as escadas estarem suportadas por vigas de madeira, porcamente (desculpem o termo) colocadas sendo amarradas com um moletom (sim, só pode ser brincadeira de muito mal gosto)”, diz um texto publicado na rede social.

O Terra esteve na prefeitura do campus da UFRGS , mas o responsável pelo assunto estava em reuniões. Foi feito um novo contato por e-mail, mas até a publicação da matéria, não foi enviada uma resposta.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade