Mercadante diz que curso técnico é opção à falta de vagas nas federais

Ministro da Educação também defendeu que a formação profissional dos trabalhadores ajuda o País a se tornar mais competitivo

9 ago 2013
14h59
atualizado em 13/8/2013 às 17h29
  • separator
  • 0
  • comentários

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, defendeu nesta sexta-feira, em Osório (RS), a ampliação do ensino técnico no Brasil como opção à falta de vagas no ensino superior, principalmente nas universidades federais. "Tivemos mais de 7,1 milhões de inscritos no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Aumentamos em 150% as matrículas nos últimos anos, mas só temos vaga para 1,1 milhões desses estudantes. Por isso que digo que a opção hoje é curso técnico”, afirmou o ministro.

<p>Mercadante (esq.) conferiu as instalações do novo campus do IFRS em Osório ao lado de Dilma Rousseff</p>
Mercadante (esq.) conferiu as instalações do novo campus do IFRS em Osório ao lado de Dilma Rousseff
Foto: Roberto Stuckert Filho / Divulgação

Segundo ele, o Brasil havia abandonado ao longo de décadas a perspectiva da formação profissional. "O Pronatec vem preenchendo esse vazio (da formação profissional) com 4 milhões de matrículas em apenas dois anos e meio", disse o ministro ao participar, ao lado da presidente Dilma, da formatura de 400 alunos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego e da inauguração do campus de Osório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS).

Mercadante ainda citou a crise econômica na Europa para defender que a formação profissional dos trabalhadores ajuda o País a se tornar mais competitivo no cenário internacional. “Você olha para a Europa, está rebaixando o salário dos trabalhadores. Na Espanha e Portugal, 60% dos jovens estão sem emprego. Nós estamos aumentando os salários e vamos conseguir ser competitivos com eles aumentando a especialização", argumentou ele durante a solenidade.

O ministro também citou o Sistema de Seleção Unificada para o Ensino Técnico (Sisutec), lançado recentemente pelo governo federal, e que está com inscrições abertas para 240 mil vagas em cursos nas áreas de tecnologia, saúde e construção civil para candidatos que fizeram o Enem de 2012. “Para o Enem deste ano, vamos aumentar ainda mais as vagas”, anunciou Mercadante, ao citar que o Enem também serve de porta de entrada para a educação superior em universidades públicas e privadas.

Sobre a inauguração do campus do Instituto Federal, Mercadante disse que os cursos são voltados para o desenvolvimento da economia da região. "(O campus) tem a melhor biblioteca, o melhor auditório da cidade. Tudo aqui é custeado pelo governo federal, e ainda atrai desenvolvimento para a região", completou.

Novo campus do Instituto Federal
Em funcionamento desde fevereiro de 2013, o novo campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia em Osório atende a 380 alunos do litoral norte gaúcho com cursos técnicos em administração, informática, turismo e superior de tecnologia. A instituição já funcionava desde 2010, com 150 alunos, em uma área cedida pela prefeitura.

O novo prédio, com 3 mil metros quadrados de construção, teve investimento de R$ 3,6 milhões por parte do Ministério da Educação. Uma nova etapa de obras está em andamento, e a estrutura abrigará salas de artes e refeitório. Com sede em Bento Gonçalves, o IFRS possui outros 11 campi implantados e quatro em fase de instalação – nas cidades de Alvorada, Viamão, Vacaria e Rolante.

Infográfico: Enem ou vestibular?

Saiba como é o processo de seleção nas principais universidades públicas brasileiras

Infográfico: Ranking Enem

Veja quais são e onde estão as 50 melhores e as 50 piores escolas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade