PUBLICIDADE

Mercadante diz que Brasil vai ampliar bolsas de estudo nos EUA

O ministro participou de reunião com o secretário de Estado americano, Jonh Kerry, sobre o programa Ciência sem Fronteiras

13 ago 2013 - 16h28
(atualizado às 16h28)
Compartilhar
Exibir comentários
Mercadante e Kerry (centro) conhecem o trabalho do estudante Pedro Nehme, que foi bolsista nos EUA
Mercadante e Kerry (centro) conhecem o trabalho do estudante Pedro Nehme, que foi bolsista nos EUA
Foto: João Neto/MEC / Divulgação

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante,afirmou nesta terça-feira, durante visita do secretário de Estado dos Estados Unidos John Kerry, que o Brasil pretende ampliar a parceria com o governo americana e com empresas de ponta para bolsas do programa Ciência sem Fronteiras. Os dois participaram de uma reunião na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e conheceram projetos de alunos da Universidade de Brasília que já participaram do programa de mobilidade no exterior.

 Até o momento, das mais de 43 mil bolsas concedidas pelo Ciência sem Fronteiras, 9.788 foram para os Estados Unidos. De acordo com Mercadante, o Brasil tem convênio com mais de 300 empresas daquele país que oferecem estágio aos bolsistas do programa. 

O ministro afirmou que as áreas prioritárias do Ciência sem Fronteiras, como engenharia, biologia, ciências, farmácia, entre outros, são as mais procuradas pelo mercado de trabalho brasileiro. “Eles voltam com o currículo impressionante”, salientou Mercadante.

Prova disso é o estudante do último período de engenharia elétrica na UnB, Pedro Nehme, 21 anos, que foi bolsista do CsF no início de 2012. Após um ano na Catholic University of America, em Washington, e sete meses de estágio na agência espacial americana (Nasa), Pedro voltou ao Brasil no ano passado e já se prepara para uma nova aventura. Ele irá ao espaço em 2015, após vencer um concurso.

Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade