MEC diz que 'kit gay' em circulação não é oficial; veja vídeos

18 mai 2011
13h50
atualizado em 19/5/2011 às 10h13
  • separator
  • comentários
Luciana Cobucci
Direto de Brasília

Após reunião com parlamentares da bancada evangélica e católica da Câmara dos Deputados, o ministro da Educação, Fernando Haddad, negou que alguns materiais em circulação sejam os produzidos para ser distribuído em escolas públicas na tentativa de diminuir o preconceito contra homossexuais, conhecido como "kit gay". No entanto, a assessoria do ministério confirmou que outros três vídeos que "vazaram" na internet estão em análise aguardando uma definição se serão utilizados nas escolas. De acordo com o MEC, o ministro fez referência a uma cartilha que circula com cenas de relações homossexuais.

Os vídeos citados nesta reportagem, Encontrando Bianca (fala sobre transexualidade), Torpedo (relação entre duas meninas lésbicas) e Probabilidade (trata da bissexualidade) ainda não podem ser considerados oficiais, pois aguardam aprovação na comissão.

"Recebemos o material, o convênio está em ordem, o material vai para a Comissão de Publicação para um debate interno, todo o material. Só se torna oficial quando aprovado na comissão, o que ainda não aconteceu. A comissão vai ouvir secretários estaduais e municipais de educação, alguns parlamentares pediram para participar da reunião e participarão", afirmou Haddad.

Os vídeos citados acima foram elaborados por um grupo de entidades formado pela Global Alliance for LGBT Education (Gale), a ONG Pathfinder do Brasil, a Comunicação em Sexualidade (Ecos); a Soluções Inovadoras em Saúde Sexual e Reprodutiva (Reprolatina) e a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), com supervisão do MEC.

O ministro criticou o material que simula relação homossexual divulgado na internet como sendo de autoria do MEC: "O material que vi circulando não é do MEC. Vários dos materiais que foram distribuídos não são do MEC. Vim esclarecer que não são. A maioria do material que me foi apresentado aqui não é do MEC, estão atribuindo ao MEC um material que não é oficial. Todo ao material do MEC está em domínio público, qualquer pessoa pode fazer o download pelo site do ministério", disse o ministro.

De acordo com o ministro, nenhum material foi distribuído para as escolas e todos devem passar pela aprovação da Comissão de Publicação da pasta. As cartilhas e os vídeos estão sendo produzidos por uma empresa terceirizada pelo ministério.

Terra

compartilhe

publicidade
publicidade