Rio: meditação fará parte do currículo de 3,5 mil alunos

18 de dezembro de 2008 • 14h58 • atualizado às 15h57
Além das disciplinas tradicionais, os jovens estudarão fundamentos da meditação e filosofia
Além das disciplinas tradicionais, os jovens estudarão fundamentos da meditação e filosofia
18 de dezembro de 2008
Getty Images

Até 2010, 3,5 mil alunos da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro estudarão em tempo integral em duas escolas especializadas em meditação. Parceria entre a Secretaria de Estado de Educação e a Fundação David Lynch, comandada pelo cineasta americano, vai permitir a construção de dois colégios, em Vargem Grande e em Vigário Geral, onde os estudantes farão duas sessões de 15 minutos de meditação transcendental, no início e no fim das aulas.

» Rio: escola estadual terá aulas de meditação
» Leia mais notícias do jornal O Dia

Além das disciplinas tradicionais - nada será alterado em relação às outras matérias -, os jovens estudarão fundamentos da meditação e filosofia.

O objetivo, segundo o subsecretário de Infra-Estrutura, Júlio da Hora, é aumentar a capacidade de concentração dos estudantes do Ensino Médio: "A idéia não é formação técnica. Com a meditação, nós observamos em gráficos que o poder de concentração dos alunos aumenta muito. Com maior poder de concentração, o rendimento deles vai lá em cima".

Os gráficos que mostram a relação entre meditação e melhoria das notas são relativos aos alunos de um colégio em Sete Lagoas (MG), um dos muitos onde 41 mil estudantes meditam. "Os resultados são excelentes. Tudo é medido cientificamente, há exames de eletroencefalograma do aluno antes e depois e se compara esse resultado, seis meses depois", explica Júlio da Hora. O programa da Fundação David Lynch é usado também por escolas dos Estados Unidos, da Colômbia, da Índia, da China e em países da África.

A construção das escolas foi proposta, em agosto, à secretária de Educação, Tereza Porto, pelo próprio Lynch, em visita para lançar seu livro "Em águas profundas - criatividade e meditação". A fundação ficaria responsável pela compra e obras dos prédios - um deles, a antiga sede da Rádio Nacional, em Vigário Geral - e a secretaria, pelos móveis e pessoal.

Localização exata
A escolha dos terrenos foi feita pela fundação, que estudou a energia de cada um dos oito locais propostos. "Eles precisam de uma arquitetura toda especial. Até a posição geográfica das escolas tem relação com a posição do sol", diz Da Hora.

Segundo ele, outro tipo de "energia" foi levada em conta pela secretaria na escolha de pelo menos um dos terrenos: "As escolas estão situadas numa região em que há um índice de violência maior, principalmente em Vigário, então a gente espera obter um resultado não só para os alunos como para a comunidade no entorno".

Outro projeto envolvendo meditação deve ser levado pela secretaria a algumas escolas já em 2009. Sete mil alunos meditarão alguns minutos por dia e os resultados serão avaliados para posterior aplicação na rede toda.

Embarque para a informática
Quem está em busca de qualificação profissional gratuita não precisará mais se deslocar até uma escola convencional. Novo modelo de sala de aula foi inaugurado ontem em um vagão da estação de trem de Nilópolis. A cada seis meses, a unidade deverá visitar um ponto da malha ferroviária do estado.

A unidade pertence ao projeto Trem-Escola, que, inicialmente, oferece cursos de informática básica e avançada em composições reformadas. O trem tem uma sala de aula com um computador para cada aluno, além de ar-condicionado, televisão e antena parabólica. No local também funciona uma sala da rede Faetec Digital, aberta à comunidade para acesso à Internet, pesquisas e impressão de trabalhos e documentos.

Segundo o governador Sérgio Cabral, outros cursos serão oferecidos: "Precisamos qualificar mão-de-obra, principalmente na Baixada. Por isso teremos aulas na área da Construção Civil, como o de bombeiro hidráulico".

Um dos idealizadores do projeto, o diretor da Escola Técnica Estadual Silva Freire, Mauro Tavares, explicou que os alunos assistirão a aulas com professores residentes na cidade onde o trem estiver. A princípio, seis serão contratados pela Faetec.

Para os estudantes, as inscrições deverão começar dia 12, em um quiosque instalado na estação. Serão oferecidas 20 vagas por turma. Os cursos são gratuitos e têm duração de três meses. Para se candidatar, basta comparecer ao local com carteira original de identidade e comprovante de residência.

O Dia - © Copyright Editora O Dia S.A. - Para reprodução deste conteúdo, contate a Agência O Dia.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »