Redação do Enem avalia cinco competências; confira

09 de junho de 2008 • 13h23 • atualizado às 13h25

Capacidade de raciocínio, articulação com as palavras, coerência textual e domínio gramatical. Esses itens são essenciais para o aluno desenvolver uma boa redação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A prova de redação corresponde à metade do valor total da média final do exame. Mas por que a redação é tão importante, seja no Enem ou no vestibular? Segundo a professora de Português Verbena Toledo, o mercado de trabalho cada vez dá mais valor a quem sabe produzir textos escritos de modo correto e objetivo. "A utilização certa da língua é necessária também como meio de interação social e cultural", afirma.

» Organize os estudos em 5 passos
» Veja gabaritos e provas de 2007
» Inscrições vão até 13 de junho

Na redação, é avaliada a capacidade do estudante na construção e no desenvolvimento do texto, utilizando a argumentação lógica de acordo com o tema proposto. "A prova também exige do aluno conhecimento do mundo em que vive, abordando fatos do dia-a-dia", diz a professora. Ela recomenda, além das aulas de redação, a leitura de jornais e revistas.

O Enem pede que o estudante elabore um texto dissertativo-argumentativo, no qual o assunto é baseado em questões sociais, políticas ou culturais. A banca também pede uma argumentação para um problema apresentado. O texto deve ter, no mínimo, 15 linhas. A redação proposta pelo Enem avalia cinco competências:

1) Domínio da língua culta: é a aplicação correta das normas gramaticais aprendidas durante a formação da vida escolar, como pontuação e concordância verbal. Neste item também é avaliada a capacidade de utilização de palavras ligadas ao tema proposto na prova.

2) Compreensão do tema: um dos pontos mais importantes de uma redação. Muitos alunos perdem nota porque o texto não corresponde à proposta apresentada. "Por isso, é importante manter-se atualizado. Escrever sobre algo sem ter o mínimo conhecimento é desastroso", explica Verbena.

3) Organizar informações e argumentos: é preciso saber organizar as idéias, apresentando uma interpretação dissertativa relacionada ao tema. Excesso de informação ao longo do texto torna a leitura cansativa e mostra falta de capacidade de argumentação.

4) Correta aplicação da lógica: coerência nos argumentos é fundamental. Reforce o estudo de advérbios e conjunções, palavras conhecidas como de coesão textual. Estes elementos fazem a ligação adequada entre os diversos termos de uma frase e entre os parágrafos.

5) Construir uma proposta de solução para o problema: a argumentação do estudante deve ter como objetivo apresentar possíveis soluções para uma questão abordada pelo tema. A utilização correta de opiniões, argumentos, informações e dados ao longo do desenvolvimento dão subsídios para a elaboração da conclusão.

Redação Terra
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »